PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Próxima edição do Fortal é adiada mais uma vez, para julho de 2022

Para o próximo ano, os organizadores prometem uma festa com os "sentimentos mais puros de conexão" através da música. Essa é a segunda vez que o evento é adiado em decorrência da pandemia do novo coronavírus

Leonardo Maia
19:55 | 06/07/2021
Festas como o Fortal apresentam risco extra pela alta aglomeração de pessoas (Foto: Aurélio Alves / O POVO)
Festas como o Fortal apresentam risco extra pela alta aglomeração de pessoas (Foto: Aurélio Alves / O POVO)

A 29ª edição do Fortal, tradicional evento cultural realizado em Fortaleza anualmente, foi adiado novamente para os dias 21 a 24 de julho de 2022. Em comunicado oficial divulgado nesta terça-feira, 6, a organização do evento explicou que o adiamento segue recomendações sanitárias adotadas também em grandes festivais do mundo inteiro, em decorrência da pandemia da Covid-19.

As pessoas que já tiverem adquirido ingressos para a edição que estava marcada para este ano poderão entrar em contato com a organização, pelo email [email protected], no caso de compras em pontos físicos. Para ingressos adquiridos virtualmente, o email é o [email protected] Os organizadores do evento lamentaram que o cancelamento afeta, além da realização da festa, a cadeia que movimenta o turismo e a economia do estado.

Para 2022, a organização promete preparar uma edição que vai celebrar a superação e resgatar os “sentimentos mais puros de conexão” através da música. “Agora, respiramos com otimismo uma nova atmosfera de esperança, onde já podemos vislumbrar um horizonte de energia e emoção que só o Fortal sabe proporcionar”, enfatizam os organizadores na nota.

Em post nas redes sociais, o perfil oficial do evento acrescentou ainda que as novas datas são resultado de “otimismo e prudência”. “Esperança e responsabilidade. São essas as palavras que guiam nossos horizontes nos últimos dois anos”, disse a produtora.

No ano passado, as dúvidas sobre a realização do Fortal foram respondidas pelo governador Camilo Santana (PT). Em maio de 2020, ele disse que era “óbvio” que o evento não aconteceria e no início de junho a empresa que produz o evento anunciou oficialmente o adiamento. Ela foi notificada oficialmente a adiar edição devido às aglomerações provocadas pela festa, contrárias às medidas para combate da Covid-19.