PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Gestantes e puérperas que tomaram 1ª dose da AstraZeneca podem completar vacinação com Pfizer

No Ceará, 1.839 grávidas ou puérperas receberam a primeira dose de AstraZeneca. E orientação se deve ao aumento no número de óbitos maternos pela Covid-19

23:23 | 02/07/2021
A aplicação da vacina Astrazeneca nesse grupo está suspensa desde maio (Foto: Agência Brasil)
A aplicação da vacina Astrazeneca nesse grupo está suspensa desde maio (Foto: Agência Brasil)

As gestantes e puérperas (com até 45 dias após o parto) do Ceará que tomaram a primeira dose da vacina podem completar o esquema vacinal com o imunizante da Astrazeneca. A orientação foi publicada nesta sexta-feira, 2, após recomendação do Centro de Operações de Emergências (COE) Covid da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). Um total de 1.839 grávidas ou puérperas do Estado receberam a primeira dose de AstraZeneca. Desde maio, a aplicação da vacina Astrazeneca está suspensa nesse grupo.

O motivo da indicação é o aumento no número de óbitos maternos pela Covid-19 no Brasil e no Ceará neste ano. Em 2020, dos 32 óbitos maternos pela doença, 12,5% das mortes ocorreram na gestação e 78,1%, no puerpério. Em 2021, até junho, dos 35 óbitos maternos decorrentes do coronavírus, 11,4% ocorreram na gravidez e 85,7%, no puerpério.

De acordo com o comunicado, a segunda dose da vacina Pfizer para gestantes que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca deve ser aplicada no intervalo de 90 dias entre as doses. A nota também aponta que gestantes e puérperas que iniciaram a vacinação com a dose da AstraZeneca e que não desejam concluir o esquema vacinal com o imunizante da Pfizer deverão ser apoiadas em sua decisão e poderão concluir a imunização com a vacina da AstraZeneca após 45 dias de pós-parto.

A imunização de gestantes e puérperas com a vacina da AstraZeneca foi interrompida temporariamente após Nota Técnica nº 651/2021, emitida pelo Ministério da Saúde, por meio da Coordenação do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI), em maio.