Participamos do

Idosos que não foram agendados ou perderam data podem comparecer para vacinação em Fortaleza

Segundo a secretaria, 95% desse público já foi vacinado e quem ainda não recebeu pode ir aos pontos de vacinação
12:34 | Mai. 28, 2021
Autor Júlia Duarte
Foto do autor
Júlia Duarte Estagiária
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Idosos da segunda fase da vacinação, com idade a partir de 60 anos, podem comparecer aos locais de vacinação para receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19. O indicativo da Secretaria Municipal da Fortaleza (SMS) é para aqueles que não foram agendados ou perderam a data do agendamento, mas que estejam devidamente cadastrados no Saúde Digital e possam comprovar que são residentes de Fortaleza.

Segundo a Secretaria, já foram vacinados 244.617 idosos entre 60 e 74 anos, totalizando 95% da meta para o grupo. "É muito importante que idosos acima de 60 anos que comprovem que residem em Fortaleza que não foram agendados em nenhum momento ou perderam o agendamento da primeira dose podem comparecer nos nossos centros de vacinação", explicou a secretária da Saúde, Ana Estela. 

LEIA MAIS: Vacinação contra a Covid-19 ocorre em 57 pontos neste sábado em Fortaleza

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Amanhã, sábado, 29, funcionarão 57 pontos de vacinação em toda Capital. A previsão da SMS é o agendamento de mais de 33 mil pessoas da terceira fase, profissionais da saúde e das forças de segurança e salvamento. Das 9h às 17h, estarão operando 50 postos de saúde, três policlínicas e quatro centros de vacinação (shopping RioMar Fortaleza, Centro de Eventos, Sesi Parangaba e Arena Castelão).

Para esse grupo, a vacinação ocorre mediante agendamento disponibilizado em listas diárias divulgadas no site da Prefeitura de Fortaleza. Também são enviadas mensagens via e-mail ou WhatsApp com data, horário e local. Para o agendamento, é necessário estar cadastrado na Plataforma Saúde Digital.

Segundo a secretária, no cadastro de pessoas com comorbidades é preciso estar definido o tipo de doença. Cerca de 12 mil pessoas do grupo fizeram a edição, seguindo as recomendações, e foram convocadas para receber a primeira dose. "Sobretudo aquelas pessoas que não tinham identificado qual era sua comorbidade, que nós fizemos uma orientação para que acessem o cadastro e fizessem a edição", afirmou a secretária. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags