PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Após erro humano, 15 milhões de doses da vacina Johnson & Johnson contra Covid-19 foram estragadas

O imunizante da Janssen é considerado responsável por acelerar o processo de vacinação nos Estados Unidos por necessitar apenas uma dose

Neto Ribeiro
22:37 | 31/03/2021
A vacina da Janssen é considerada importante para imunização global por necessitar apenas uma dose para atingir bom nível de imunização.  (Foto: KAMIL KRZACZYNSKI / AFP)
A vacina da Janssen é considerada importante para imunização global por necessitar apenas uma dose para atingir bom nível de imunização. (Foto: KAMIL KRZACZYNSKI / AFP)

Trabalhadores de uma fábrica que produzia as vacinas da Johnson & Johnson e AstraZeneca contra a Covid-19, em Baltimore, nos Estados Unidos, estão sendo apontados pelas autoridades norte-americanas como causadores de uma falha que resultou na perda de aproximadamente 15 milhões de imunizantes, após misturarem acidentalmente alguns ingredientes de maneira equivocada.

O erro humano ocorrido na planta de fabricação da Emergent BioSolutions fez com que as futuras remessas de doses da vacina da Janssen, pertencente a Johnson & Johnson, fossem interrompidas até que a Food and Drug Administration (FDA) - a Anvisa dos Estados Unidos - investigue o caso.

O episódio é considerado um grande constrangimento para a Johnson & Johnson. Por conta disso, a empresa decidiu fortalecer o controle sobre o trabalho feito na fábrica da Emergent BioSolutions, com o objetivo de evitar outras falhas de qualidade. Vale lembrar que apenas uma dose da vacina é necessária, o que agiliza o processo de imunização no país.

As demais doses da Jansen utilizadas para imunização da população norte-americana foram fabricadas na Holanda e foram aprovadas pela FDA antes de serem aplicadas. Entretanto, a maior parte da remessa que seria distribuída viria da fábrica em Baltimore. Os Estados Unidos contam com outros imunizantes para dar continuidade ao plano de vacinar toda população adulta até o fim de abril, como as vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna.