PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Governo compra 138 milhões de vacinas Pfizer e Johnson&Johnson; a última ainda sem autorização

Coronavac e Oxford/AstraZeneca estão permitidas para uso emergencial

Ítalo Cosme
17:01 | 19/03/2021
Imunização de idosos em Fortaleza.  (Foto: Thais Mesquita)
Imunização de idosos em Fortaleza. (Foto: Thais Mesquita)

Com expectativa de entrega até o fim do ano, o Governo Federal assinou dois contratos para adquirir imunizantes contra a Covid-19. Um compra 100 milhões da Pfizer/BioNTech e outro 38 milhões da Janssen, do conglomerado Johnson&Johnson. Porém, este último grupo ainda não tem autorização da Anvisa para ser utilizado no Brasil.

Além da vacina da Pfizer, autorizada em 23 de fevereiro para uso definitivo, podem ser aplicadas no País as vacinas da Coronavac e de Oxford/AstraZeneca, permitidas apenas para uso emergencial.

Em relação a esta compra do Governo, a Janssen pode ser aplicada em dose única enquanto a Pfizer/BioNTech necessita de duas doses. Com isso, a expectativa, a partir da negociação, é imunizar 83,6 milhões de brasileiros. Das doses, 5% são destacadas para perdas operacionais.

Plano de entrega:

Pfizer:

- 13,5 milhões entre abril e julho;

- 86,5 milhões de julho a setembro

Janssen:

- 16,9 milhões de julho a setembro

- 21,1 milhões de outubro a dezembro

Conforme o jornal O Estado de S.Paulo, nota enviada pelo Ministério da Saúde diz: "Cabe ressaltar que o cronograma de entrega das vacinas é enviado ao Ministério da Saúde pelos laboratórios e está sujeito a alterações, de acordo com a disponibilidade de doses e a real entrega dos quantitativos realizada pelos fornecedores".

No total, considerando este dois últimos contratos, o País deve receber 562 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 até 2021.