PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Após aprovação, 1ª dose de vacina é aplicada no Brasil em enfermeira negra

Mônica Calazans é de grupo de risco, sendo obesa, hipertensa e diabética, além de profissional da saúde. Ela trabalha na UTI há 10 meses

15:28 | 17/01/2021
A enfermeira Monica Calazansis (C) é inoculada com a vacina CoronaVac Sinovac Biotech contra o coronavírus COVID-19 enquanto o governador de São Paulo João Doria (L) observa no hospital de Clínicas em São Paulo, Brasil, em 17 de janeiro de 2021. - O regulador de saúde da Anvisa do Brasil deu aprovação emergencial em 17 de janeiro de 2021 para suas duas primeiras vacinas contra o coronavírus, enquanto o país se prepara para lançar uma campanha de inoculação em massa em meio a uma segunda onda epidêmica devastadora. Autorizou os disparos de Covishield da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, bem como do CoronaVac da China, para uso no país onde o número de mortos de Covid-19 agora ultrapassa 209.000, anunciou a Anvisa (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)
A enfermeira Monica Calazansis (C) é inoculada com a vacina CoronaVac Sinovac Biotech contra o coronavírus COVID-19 enquanto o governador de São Paulo João Doria (L) observa no hospital de Clínicas em São Paulo, Brasil, em 17 de janeiro de 2021. - O regulador de saúde da Anvisa do Brasil deu aprovação emergencial em 17 de janeiro de 2021 para suas duas primeiras vacinas contra o coronavírus, enquanto o país se prepara para lançar uma campanha de inoculação em massa em meio a uma segunda onda epidêmica devastadora. Autorizou os disparos de Covishield da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, bem como do CoronaVac da China, para uso no país onde o número de mortos de Covid-19 agora ultrapassa 209.000, anunciou a Anvisa (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)

Instantes após a aprovação unânime pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a primeira pessoa foi vacinada no Brasil. Mônica Calazans, 54 anos, recebeu a vacina em São Paulo. Ela trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, e foi escolhida pelo Butantan para ser imunizada neste domingo, 17, a dose da Coronavac.

A enfermeira é de grupo de risco, sendo obesa, hipertensa e diabética, além de profissional da saúde. Ela trabalha na UTI há 10 meses, desde maio, quando decidiu se inscrever para vagas de enfermagem durante o auge da pandemia do novo coronavírus. Ela é moradora de Itaquera, na zona leste de São Paulo e chega a trabalhar em escalas de 12 horas, em dias alternados. Setor tem 60 leitos para pacientes Covid.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB ), acompanhou a vacinação.

Veja ao vivo:

 

 

 

TAGS