PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Pazuello indica início da vacinação até 21 de janeiro, diz governador do Piauí

Conforme Wellington Dias, o ministério prevê a assinatura de contratos que permitam o início da imunização até essa data

21:28 | 16/12/2020
Governador do Piauí ainda falou que o ministro da saúde confirmou a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac (Foto: AFP PHOTO / UNIVERSITY OF OXFORD / John Cairns)
Governador do Piauí ainda falou que o ministro da saúde confirmou a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac (Foto: AFP PHOTO / UNIVERSITY OF OXFORD / John Cairns)

O governador do Piauí, Wellington Dias, afirmou que o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, acertou com os governadores procedimentos que viabilizam o início da vacinação contra Covid-19 até 21 de janeiro. A declaração de Dias ocorreu nesta quarta-feira, 16, após reunião de Pazuello com governadores, logo após apresentação do plano nacional de vacinação em cerimônia no Palácio do Planalto.

Leia Também | Ceará deve ter 1,7 milhão de doses para grupo de risco e começar a vacinar em fevereiro

Conforme Wellington Dias, o ministério prevê a assinatura de contratos que permitam o início da imunização até essa data. “Acertamos procedimento por parte do ministério que prevê assinatura de contrato e negociações em condições de até 21 de janeiro, via Fiocruz, (Instituto) Butantan, Pfizer, fornecer vacina para se ter início da vacinação no Brasil. Pode ser antes, mas o cronograma é que não seja depois. O Brasil pode começar até 21 de janeiro. (Haverá) Todo esforço para que possa ser até antes”, afirmou o governador após deixar a reunião.

Além da data de início da vacinação em janeiro, o governador do Piauí ainda falou que o ministro da saúde confirmou a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a fabricante chinesa Sinovac. De acordo com ele, as primeiras 9 milhões de doses devem ser entregues até o dia 20 de janeiro. As informações são do portal O Globo.

Leia Também | Ceará soma 9.875 mortos por coronavírus e 320.685 pessoas infectadas

Nesta quarta-feira, Pazuello afirmou que “todas as vacinas que estiverem no Brasil serão do Programa Nacional de Imunização, sem exceção”. O governo apresentou, na cerimônia, sete iniciativas na lista de “adesão do Brasil às vacinas”, entre elas a CoronaVac, da farmacêutica chinesa Sinovac Biotech com o Instituto Butantan, e previu o início da vacinação em “meados de fevereiro”.