PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Brasileira é uma das primeiras da fila de vacinação contra Covid-19 no Reino Unido

Beth Kress, natural do município de Nova Era, Minas Gerais, aguarda por uma carta do governo britânico onde estarão marcadas a data e o local de aplicação da vacina

15:36 | 08/12/2020
Beth acaba de completar 70 anos, o que a fez ser reposicionada para o quarto grupo da campanha de vacinação (Foto: Reprodução/Instagram)
Beth acaba de completar 70 anos, o que a fez ser reposicionada para o quarto grupo da campanha de vacinação (Foto: Reprodução/Instagram)

A brasileira Beth Kress está entre as primeiras pessoas na fila do programa de vacinação contra Covid-19, no Reino Unido. Beth, que é fotógrafa e mora em Londres, Inglaterra, acaba de completar 70 anos, o que a fez ser reposicionada para o quarto grupo da campanha para receber o imunizante no país inglês.

A brasileira, natural do município de Nova Era, Minas Gerais, aguarda por uma carta do governo britânico onde estarão marcadas a data e o local de aplicação da vacina. A previsão para o quarto grupo receber o documento é partir do dia 14 de dezembro.

Leia mais | Reino Unido inicia a vacinação contra o coronavírus

“Como eu fiz 70 anos na semana passada, pulei para o quarto grupo”, afirma Beth. O marido dela é inglês e deve receber a vacina antes, pois sofre de enfisema pulmonar, disse a brasileira em entrevista à GloboNews na manhã desta terça-feira, 8.

Ainda conforme a fotógrafa, a sensação atual é de ansiedade por saber que, em breve, poderá se livrar “das amarras do medo”, seu maior desejo é voltar a sair para fotografar e encontrar os amigos. “É como se estivessem tirando um peso dos meus ombros, das minhas pernas, vou poder ir para onde quiser”, destaca.

Beth relembra que antes da pandemia ela costumava viajar para o interior do país para fotografar, no entanto a realidade hoje são apenas saídas para tarefas essenciais. Ela ainda destacou que os últimos meses foram os piores da vida dela. “Fiquei enclausurada”, pontua.

O Reino Unido se tornou o primeiro país do mundo a autorizar a vacina contra a Covid-19, dos laboratórios americano Pfizer e alemão BioNTech. Cerca de 400 mil moradores da região receberão duas doses da vacina em pelo menos 50 hospitais. A segunda injeção será administrada com o intervalo de 21 dias.