PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Pandemia: plano de retomada das aulas no Espírito Santo tem protocolo de despedidas em casos de morte

As aulas presenciais no estado do Espírito Santo estão previstas para o mês de outubro. A retomada gradual começará pelas atividades do ensino médio.

Ismia Kariny
11:27 | 11/09/2020

O Plano de Retomadas das Aulas Presenciais para a Educação Básica, no estado do Espírito Santo, surpreendeu a população capixaba, por trecho que prevê protocolo de despedidas para casos de morte de alunos e professores. As aulas presenciais no estado devem ser retomadas no próximo mês de outubro, de forma gradativa, começando pelas atividades dos estudantes do ensino médio. Em seguida, retornarão os aluno do 6º ao 9º ano, e, por fim, os do 1º ao 5º ano.

Circulou nas redes sociais, nos últimos dias, um recorte do documento, planejado pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), que diz: “Havendo óbitos de alunos ou de profissionais da escola, pode-se organizar ritos de despedida, homenagens e memoriais”. Muitos acreditavam se tratar de uma fake news. Contudo, o item está destacado na página 65 do Plano de Retomadas das Aulas Presenciais para a Educação Básica.

Leia também | 11 de setembro completa 19 anos: relembre o atentado

“O processo de elaboração do luto tornou-se específico neste momento porque também sofreu atravessamentos, uma vez que a morte, na maioria dos casos, ocorreu de forma repentina”, continua o texto. Entre os protocolos de retomada das aulas no estado do Espírito Santo, há a definição de revezamento entre as classes, que serão divididas em duas turmas. As aulas para cada uma serão alternadas, de dois em dois dias. Assim, enquanto parte dos alunos participam das atividades diretamente na escola, os outros estudam em casa.

Escuta e acolhimento em casos de violência

 

Também no documento, há orientações para escuta e acolhimento dos estudantes, em casos de violência; seja ela autoprovocada, sexual, física, psicológica, entre outras. Segundo o governo do Espírito Santo, a escola deve contribuir para a rede de proteção à criança e ao adolescente.

"Em alguns casos, o distanciamento e o isolamento social podem agravar situações de violência que já aconteciam no ambiente familiar, ou provocar o início delas[...] Em todos esses casos, a escola deve oferecer às vítimas, escuta ativa e acolhimento adequado, bem como seguir o protocolo de notificação de violências”, pontua o documento.

Até a quinta-feira, 10, o Espírito Santo contabilizou 3.314 mortes por Covid-19 e 118.138 casos confirmados do novo coronavírus. O índice de letalidade da doença no Estado é de 2,8%. Leia na íntegra o Plano de Retomadas das Aulas Presenciais para a Educação Básica no estado do Espírito Santo.