PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Conheça o plasma convalescente, um dos tratamentos para Covid-19

No Ceará, 85 pacientes já receberam o procedimento

Júlia Duarte
13:27 | 10/09/2020
Para doar, é preciso estar sem sintomas da doença há mais de 30 dias (Foto: Divulgação/Hemoce)
Para doar, é preciso estar sem sintomas da doença há mais de 30 dias (Foto: Divulgação/Hemoce)

Quando uma pessoa contrai um vírus, o sistema imunológico cria anticorpos para combater esse agente. Essas pequenas e importantes células são encontrados no plasma, que é a parte líquida do sangue. Esse plasma com a capacidade combater uma infecção, chamado de convalescente, tem sido usado para tratamento de pacientes com Covid-19 da forma grave. Algumas pesquisas já apontam os bons resultados. No Ceará, o procedimento é feito pelo Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) e 85 pacientes já receberam o plasma. 

Com um simples processo de doação de sangue, o plasma rico em anticorpos é coletado de uma pessoa recuperada da doença e então é colocado em paciente doente com a infecção ativa. A médica Denise Brunetta, diretora de hemoterapia do Hemoce explica que o objetivo é que aconteça um processo chamado de “clareamento viral”. O termo se refere à eliminação progressiva de substâncias estranhas ao organismo, tais como antígenos virais ou bacterianos, toxinas, fármacos ou metabólitos. “ A intenção é diminuir a quantidade de vírus no corpo para que a pessoa possa se recuperar mais rapidamente”, acrescenta a médica.

Ela explica que o procedimento já foi usado em outro momentos da história da Medicina. O procedimento foi usado pela primeira vez em meados de 1890 e ajudou na pandemia da gripe espanhola em 1918 e na terapia antimicrobiana na década de 1940. Mais recentemente, foi usado em surtos de sarampo, caxumba e gripe, bem como a pandemia de gripe H1N1, em 2009.

A transfusão de plasma convalescente em pacientes de Covid-19, entretanto, é considerado um tratamento experimental, porque ainda existem controvérsias na Academia. Alguns estudos clínicos foram iniciados, mas ainda estão em aberto. Para ser considerado como tratamento indicado, mais estudos devem ser concluídos.

No estudo do jornal acadêmico American Journal of Pathology, que é uma publicação da Sociedade Americana de Patologia Investigativo, o plasma convalescente vem de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e que se recuperaram. O estudo avaliou 316 pacientes a partir da evolução de análises posteriores sobre o plasma convalescente, que já tinham provado a segurança do tratamento contra a Covid-19. "Nossos estudos até agora mostram que o tratamento é seguro e, em um número promissor de pacientes, eficaz", disse James M. Musser, chefe do Departamento de Patologia e Medicina Genômica do Houston Methodist e um dos líderes da pesquisa.

Em junho, o Hemoce passou a receber pessoas recuperadas de Covid-19 que desejassem doar plasma convalescente. As bolsas já foram usadas em 85 pacientes no Ceará. O tratamento é realizado com prescrição médica em pacientes hospitalizados, com autorização ou do paciente ou da família deles.

Para doar plasma, o voluntário precisa atender alguns critérios, como ter se recuperado há mais de 30 dias da Covid-19 e não apresentar sintomas da doença. O processo de doação acontece em duas etapas. A pessoa vai passar por uma triagem clínica, em que uma amostra de sangue é avaliada e o nível de anticorpos da Covid-19 é estudado. Depois, os candidatos que tiverem um nível adequado desse tipo de célula retornam ao Hemoce para uma consulta. Quem não estiver apto para doar plasma convalescente será convidado a realizar uma doação de sangue convencional.

A diretora de hemoterapia do Hemoce, Denise Brunetta, ressalta que não existem outros tratamentos com eficácia garantida contra a Covid-19. “Quando a gente não tem um melhor tratamento, nós vamos buscando alternativas que possam tirar um paciente de um quadro grave, já que sabemos que tem uma letalidade alta, em que muitos pacientes precisam ir para UTI e podem ir ao óbito”, explica.

Doação de sangue regular

 

O Hemoce relembra ainda que as doações de sangue são fundamentais para manter o atendimento transfusional de pacientes nas mais de 480 unidades de saúde no Ceará. O Hemoce convida a quem estiver saudável, bem alimentado, que tem entre 16 e 69 anos de idade, pesando mais de 50k, que procure um dos postos de coleta. É necessário apresentar também um documento de identificação original e com foto ou fotocópia autenticada para realizar a doação.

O Centro disponibilizou ferramenta online para agendar doações de sangue. O agendamento é feito através de um link, onde é possível escolher local e horário disponível para doação. Telefone também está disponibilizado para marcar atendimentos.

Locais para doar


Hemocentro Coordenador
Onde: avenida José Bastos, 3390 - Rodolfo Teófilo
Informações: 3101.2296

Horário de funcionamento:
7h30min às 18h30min, de segunda à sexta-feira
8h às 16 horas, aos sábados

.............................................

Posto de Coleta do Instituto José Frota
Onde: avenida Barão do Rio Branco, 1816 - Centro

Informações: 3101.5293

Horário de Funcionamento:
13h às 18h30min, de segunda à sexta-feira
13h às 17h30min, nos sábados, domingos e feriados
............................................

Posto de Coleta Praça das Flores
Onde: avenida Desembargador Moreira, sn - Aldeota

Horário de Funcionamento:
8h às 13 horas, de segunda à sexta, sábado de 8h às 12 horas (doação de sangue)
8h às 17 h, de segunda à sexta, sábado de 8h às 12 horas (cadastro de medula óssea)