PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Saco de lixo capaz de inativar o coronavírus é aprovado em testes da Unicamp

Os testes foram realizados pelo Instituto de Biologia da Unicamp e apontaram que o saco de lixo foi capaz de inativar 99,9% das estruturas do novo coronavírus

18:05 | 23/08/2020
Para facilitar a identificação dos consumidores, os sacos de lixo serão comercializados na cor cinza (Foto: Reprodução)
Para facilitar a identificação dos consumidores, os sacos de lixo serão comercializados na cor cinza (Foto: Reprodução)

Uma empresa brasileira desenvolveu um saco de lixo capaz de eliminar o coronavírus de resíduos descartados na lixeira. Neste fim de semana, um laudo emitido pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) confirmou a capacidade do produto de eliminar o vírus causador da Covid-19 nos testes realizados pela instituição. As informações são do blog VivaBem UOL.

O saco também possui a capacidade de desativação de outros vírus da mesma classe, como o Sars-Cov-1 e o MERS-Cov, causador da síndrome respiratória do Oriente Médio.

Os testes foram realizados pelo Instituto de Biologia da Unicamp e apontaram que o material plástico foi capaz de inativar 99,9% das estruturas de Sars-Cov-2. De acordo com a universidade, a tecnologia é inédita.

Para facilitar a identificação dos consumidores, os sacos serão comercializados na cor cinza. A empresa responsável pela produção do saco prevê que os sacos estejam disponíveis no mercado nas próximas semanas.

Coronavírus: desinfecção do saco de lixo

Durante a fabricação, uma espécie de agente antisséptico é adicionado ao material plástico do produto. O composto age na membrana dos sacos de lixo e envolve o material. Ele tem a capacidade de inativar proteínas e gorduras, quebrando a estrutura genética dos vírus. Isso impede a transição para células humanas e, consequentemente, a contaminação.

A tecnologia teve sua eficácia aprovada em um teste virucida feito no laboratório da Unicamp, seguindo requisitos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Nos testes, além dos vírus da classe do coronavírus, o material foi capaz de inativar o H1N1, causador da gripe, e adenovírus, que provocam resfriados e outros problemas respiratórios, além de também eliminar bactérias causadoras de odores.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >