PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Covid-19: Governo do Paraná vai assinar convênio com Rússia para fabricação de vacina

O convênio permitirá que sejam realizados no Paraná testes para a nova vacina

11:13 | 11/08/2020
Medicamento pode chegar ao mercado antes das vacinas, mas tem capacidade de imunização por período mais curto (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Medicamento pode chegar ao mercado antes das vacinas, mas tem capacidade de imunização por período mais curto (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O Governo do Paraná deve assinar um convênio com a Rússia para trazer a vacina Sputink V, anunciada pelo presidente Vladimir Putin, ao Brasil. De acordo com o portal G1, acordo deve ser assinado já na tarde desta quarta-feira, 12, pelo governador Ratinho Júnior (PSD) e o embaixador da Rússia.

O convênio permitirá que sejam realizados no Paraná testes para a nova vacina. Produção e distribuição local também estão previstas no acordo. Depois de fechado, o protocolo russo de saúde deverá ser compartilhado com a Anvisa para que o processo seja permitido no Brasil.

A gestão paranaense já havia falado em cooperação técnica com a Rússia e que o processo estava em andamento. Conforme a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, o estado tem 93.139 casos confirmados de Covid-19 e 2.370 pessoas mortas pela doença.

A rapidez na produção da vacina russa tem sido motivo de preocupação pelos cientistas estrangeiros. A Organização Mundial da Saúde (OMS) orientou que a Russe deve respeitar às diretrizes estabelecidas e seguir todos os estágios necessários para desenvolver uma vacina segura.

No último dia 31, o site da OMS mostrava que a vacina produzida pelo país liderado por Putin ainda passava pela primeira fase do processo. Ao todo, há três etapas necessárias para que a vacina seja concluída.

A OMS informou que será necessário acessar os dados da pesquisa para avaliar se a vacina é eficaz e segura, para só então ser liberada.