PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Campanha sobre prevenção do coronavírus em comunidades indígenas é lançada no Ceará

Somente no Ceará, até agora, já são quase 400 indígenas contaminados pelo novo coronavírus. Campanha é encabeçada pelos Ministérios Públicos Federal e do Estado, além de comunidades cearenses

18:04 | 24/07/2020
Entre as medidas reforçadas na campanha está a importância de que aglomerações sejam evitadas (Foto: Tatiana Fortes em 7/8/2019)
Entre as medidas reforçadas na campanha está a importância de que aglomerações sejam evitadas (Foto: Tatiana Fortes em 7/8/2019)

Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Ceará (MPCE) e comunidades indígenas cearenses lançaram a campanha #IndígenasSemCovid, que visa estimular o reforço do combate à disseminação da Covid-19 em comunidades do Estado. Número de contaminados já chega a 400. Por serem mais vulneráveis à infecção em decorrência do isolamento geográfico, os povos indígenas precisam seguir todas as medidas e protocolos de prevenção à doença.

Indígenas das etnias Tremembé, Jenipapo-Kanindé e Tapeba fizeram parte da divulgação da campanha em um vídeo curto, onde falam da importância de se manter o distanciamento social e fazer o uso de máscaras. Na gravação, apontam atos cotidianos que devem ser evitados, como visitar vizinhos, se reunir em calçadas e jogar futebol em campinhos das comunidades.

Além do vídeo e das peças que serão postadas nas redes sociais, a campanha também contará com carros de som que circularão entre as comunidades indígenas para reforçar as mensagens de prevenção à Covid-19, com linguagem simples, direta e acessível. Cards que apontam particularidades da incidência da doença entre populações indígenas também fazem parte da campanha.

O Ceará é a oitava unidade da federação em número de etnias, com 15 diferentes. Em vídeo publicado nas redes sociais divulgando a campanha #IndígenasSemCovid, o procurador-geral de Justiça Manuel Pinheiro destaca a necessidade das medidas sanitárias estabelecidas "precisamos principalmente que as pessoas que entram e saem das aldeias cumpram rigorosamente as medidas sanitárias e distanciamento social", afirma.

A procuradora da República Nilce Cunha, aponta que agora nesse momento de flexibilização, precisamos mais do que nunca da colaboração de todos, para que sejam cumpridas as medidas sanitárias de proteção e prevenção ao novo coronavírus.

Covid-19 e povos indígenas

Indígenas e não indígenas estão imunologicamente suscetíveis a vírus que nunca circularam antes, como é o caso do novo coronavírus causador da covid-19. Diferentes estudos atestam que povos indígenas são mais vulneráveis a epidemias em função de condições sociais, econômicas e de saúde piores do que as dos não indígenas, o que amplifica o potencial de disseminação de doenças.

Serviço:
Campanha #IndígenasSemCovid
Vídeos: https://www.youtube.com/user/mpceoficial
Redes Sociais: https://www.instagram.com/mpce_oficial / https://www.facebook.com/mpce_oficial / https://twitter.com/mpce_oficial