PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Paciente de 70 anos recebe alta após tratamento com capacete de respiração assistida feito no CE

O Elmo foi utilizado quando Maria Irismar precisou de mais oxigênio. O equipamento causou uma rápida melhora pulmonar

21:31 | 20/07/2020
Aposentada teve alta hospitalar após uso do capacete Elmo (Foto: Divulgação/ Esp-CE)
Aposentada teve alta hospitalar após uso do capacete Elmo (Foto: Divulgação/ Esp-CE)

A aposentada Maria Irismar Morais, de 70 anos, conseguiu voltar para sua casa em Jaguaribe, interior do Ceará, na última quinta-feira, 16, após 13 dias internada no Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza. A paciente estava com insuficiência respiratória provocada pelo novo coronavírus e recebeu tratamento com o Elmo, um capacete produzido no Ceará que oferece respiração artificial de uma forma não invasiva. O resultado animou pesquisadores para desenvolver o projeto e, no futuro, disponibilizá-lo para produção.

Ansiosa para voltar para casa, Maria demonstrou gratidão aos profissionais de saúde do Hospital Leonardo da Vinci. Ela conta que vai para casa com o coração feliz. “Eu venci, graças a Deus!”, comemorou a aposentada. O Elmo foi utilizado quando Maria Irismar precisou de mais oxigênio. O equipamento causou uma rápida melhora pulmonar e a paciente afirmou ser de uso confortável. 

O capacete de respiração assistida foi produzido em três meses e está em fase de testes em pacientes internados no hospital desde o final de junho. O equipamento pode tratar casos leves e moderados da Covid-19. Esse experimento foi preparado pelo Governo do Ceará, por meio da Secretaria de Saúde (Sesa), ESP/CE e Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), e as universidades Federal do Ceará (UFC) e de Fortaleza (Unifor).

O estudo clínico que desenvolveu o Elmo envolveu 15 pessoas, sendo voluntários e pacientes. O equipamento é colocado no paciente por profissionais de saúde treinados. O dispositivo está em processo de licença para a sua maior produção e comercialização no Brasil. Na semana passada, a equipe responsável depositou a patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

O capacete de respiração assistida está em fase de testes em pacientes internados no Hospital desde o final de junho, e pode tratar casos leves e moderados de Covid-19
O capacete de respiração assistida está em fase de testes em pacientes internados no Hospital desde o final de junho, e pode tratar casos leves e moderados de Covid-19 (Foto: David Tomás)

O Elmo permite a oferta de oxigênio com uma pressão definida ao redor da face, que faz com que a pessoa respire com o auxílio desse equipamento. Então, o paciente tem a chance de melhorar sua respiração, diminuindo a possibilidade de uma intubação. Na Itália, um dispositivo semelhante ao Elmo é utilizado e conseguiu reduzir pela metade a necessidade de ventilação mecânica em pacientes.

O Elmo também possibilita uma maior segurança nas unidades de saúde, pois, ao ser vedado ao pescoço do paciente, evita que as partículas se espalhem no ambiente. O equipamento é de baixo custo e pode ser desinfetado e reutilizado.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >