PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Governo Federal substitui antigo portal da Covid-19 por versão com informações menos detalhadas

Com a atualização, o site deixou de informar o número total de casos e óbitos, assim como os indicadores para a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

Leonardo Maia
19:21 | 06/06/2020
Os dados disponibilizados na nova versão do site não apresentam o histórico da doença. (Foto: Reprodução/Ministério da Saúde)
Os dados disponibilizados na nova versão do site não apresentam o histórico da doença. (Foto: Reprodução/Ministério da Saúde)

Um dia depois de tirar o site com informações sobre a Covid-19 do ar, o Ministério da Saúde apresentou uma nova versão do endereço — com informações mais básicas e menos detalhadas, especialmente em relação ao histórico da doença. O site covid.saude.gov.br apresenta agora apenas a atualização de casos recuperados, novos casos da doença e óbitos.

Com a atualização, o portal deixou de informar sobre o número total dos indicadores desde o início da pandemia, assim como não divulga mais informações sobre a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A estatística é usada por especialistas para avaliar a disponibilidade de leitos, por exemplo.

Outro prejuízo para a transparência dos dados é a retirada do recurso que permitia o download das estatísticas em CSV. O formato é o mais acessível para os pesquisadores que analisam os dados.

Antes, o Brasil aparecia entre os primeiros lugares do ranking.
Antes, o Brasil aparecia entre os primeiros lugares do ranking. (Foto: Reprodução/Universidade Johns Hopkins)

Com a mudança, o Brasil deixou ainda de ter seus dados computados no painel da universidade norte-americana Johns Hopkins, uma das principais referências para monitoramento dos casos da doença em todo o mundo. No repositório do site, o Brasil aparece como a única nação sem o número de casos informado.

Mais cedo, através de suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu que o Ministério da Saúde “adequou a divulgação dos dados sobre casos e mortes relacionados ao Covid-19”. Bolsonaro ponderou que as medidas permitirão ter dados mais precisos sobre cada região. “Ao acumular dados, além de não indicar que a maior parcela já não está com a doença, não retratam o momento do país”, disse.

Dados serão divulgados às 19 horas, garante ministério

Na página, o governo federal informa que os dados serão publicados diariamente “em torno das 19 horas”. Antes divulgados às 17 horas sob gestão do ministro Luiz Henrique Mandetta, que detalhava os dados em entrevista coletiva, a divulgação passou até ter mudanças e gerou polêmica.

Nessa sexta-feira, 5, Bolsonaro afirmou, em declaração à imprensa em frente ao Palácio da Alvorada, que "ninguém tem de correr para atender a Globo" e cobrou que sejam divulgados apenas os números de pessoas que morreram naquele dia.

Segundo o futuro titular da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Carlos Wizard, os dados atuais do novo coronavírus são “fantasiosos ou manipulados”. Conforme Wizard, a pasta tem convicção que o número de mortos no Brasil seria menor que o divulgado até agora.