PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Brasil registra quase uma morte por minuto nas últimas 24h

Em um dia, foram confirmados 1.349 óbitos por covid-19; total chega a 32.548

08:50 | 04/06/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 30.04.2020: Prefeitura de Fortaleza realiza limpeza contra o Coronavírus no terminal de ônibus da Parangaba.  (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: Fabio Lima)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 30.04.2020: Prefeitura de Fortaleza realiza limpeza contra o Coronavírus no terminal de ônibus da Parangaba. (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: Fabio Lima)

Os dados mais recentes divulgados pelo Ministério da Saúde (MS) nesta quarta-feira, 3, indicam 1.349 mortes confirmadas por Covid-19 em 24 horas no Brasil. Isso equivale um óbito a cada 64 segundos, o maior número já contabilizado nesta pandemia. Com isso, o número total chega a 32.548.

O número de pessoas recuperadas da doença também sobe a cada dia, e já chega a 238.617, o equivalente a 40,9% dos pacientes. Ainda segundo a pasta, mais de 312 mil casos seguem em acompanhamento.

Com a inclusão de 28.633 novos diagnósticos, o país contabiliza 584.016 casos em todo o seu território.

No final da tarde, às 17h56, a coletiva de imprensa com os técnicos da pasta, marcada para as 17h30, foi cancelada — o Ministério da Saúde remanejou a apresentação à imprensa para quinta, 4. Algumas horas depois, foi informado à imprensa que a atualização seria feita às 22 h devido a "problemas técnicos". Oficialmente, os dados são divulgados às 19h, contudo, há ao menos dez dias eles têm sofrido atrasos que variam de 30 minutos a 1 hora e 20 minutos.

A pandemia nos estados


A maior alta de mortes foi puxada pelo Rio de Janeiro (324 novos óbitos), que também registrou seu recorde nesta pandemia. Outros cinco estados também contabilizaram a maior alta no número de vítimas fatais de Covid-19: Paraíba (35 novas mortes), Alagoas (24), Minas Gerais (17), Distrito Federal (14) e Mato Grosso (seis).

A região Sudeste passou das 15 mil mortes oficiais por Covid-19 (15.290, exatamente), das quais mais de 8 mil foram em São Paulo. Para efeito de comparação, se os quatro estados da região formassem um país, este país seria o sétimo do mundo com mais óbitos registrados da doença -- à frente de México, Bélgica e Alemanha, por exemplo.

Já o Nordeste chegou a 10.066 mortes por Covid-19 registradas. Um dos estados nordestinos, o Maranhão, agora contabiliza 1.028 óbitos e desta forma se torna o sétimo estado brasileiro a passar das 1 mil mortes causadas pela doença.

SP lidera estados com mais mortes


São Paulo ultrapassou ontem o número de oito mil mortes pelo novo coronavírus. De acordo com dados divulgados hoje pelo governo paulista, 8.276 pessoas foram vítimas da Covid-19. Além disso, o estado chegou a 123.483 casos oficiais da doença.

Ao todo, o estado tem uma ocupação de 72.3% dos leitos de UTI, enquanto a Grande São Paulo está com 84.7%. Já a capital apresenta uma taxa de 63%. Ontem, o São Paulo a 327 mortes em 24 horas — número mais alto atingido em um dia desde o início da pandemia.

Ceará ainda registra aumento exponencial da pandemia

A plataforma Farol Covid, desenvolvida com base em dados disponibilizados por estados e municípios, contabilizou no Ceará um crescimento exponencial de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Denominado pela plataforma como ritmo de contágio, o número indica para quantas pessoas próximas cada paciente infectado transmitirá a doença. A taxa no Ceará fica entre 1,1 e 1,2, o que indica ritmo exponencial. A plataforma avalia esse aumento como "insatisfatório". Se o índice fosse menor que 1, o ritmo de contágio seria classificado como "bom".

Dos 157 municípios com dados de ritmo de contágio disponíveis, todos se encontram em crescimento exponencial de contágio do novo coronavírus. 84 apresentam taxa máxima acima de 2 e cinco estão acima de 3, com tendência de piora: Chaval, Potengi, Pires Ferreira, Catarina e Jucás. Em Chaval, município com maior ritmo de contágio, cada infectado pode transmitir a doença para até 3,8 pessoas.

Do Correio via Rede Nordeste