PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Profissionais do Hospital Leonardo Da Vinci relatam atraso de salários

De acordo com profissionais ouvidos pelo O POVO, nenhum profissional da saúde foi pago desde o começo do funcionamento da unidade

Rubens Rodrigues
14:47 | 15/05/2020
Avaliação do enfrentamento ao coronavírus será tema crucial da campanha (Foto: Júlio Caesar)
Avaliação do enfrentamento ao coronavírus será tema crucial da campanha (Foto: Júlio Caesar)

O Hospital Leonardo Da Vinci, exclusivo para atendimento a pacientes de Covid-19, completa dois meses funcionando no próximo dia 23. No entanto, profissionais da saúde relataram que não foram pagos até o momento. A unidade particular estava fechada e foi adaptada pelo Estado para o enfrentamento ao novo coronavírus no Ceará.

Um profissional da área ouvido pela reportagem, que terá a identidade preservada, diz que "desde que o hospital abriu ninguém foi pago". "É um trabalho árduo. Trabalhamos 12 horas com duas pausas. Nesse tempo, você não vai ao banheiro, não come. Se você está prestando atendimento, não pode se ausentar", conta. "Somos pessoas que precisam sair de casa para trabalhar, pagar aluguel para morar. Às vezes falta recurso para gasolina", comenta.

Outra fonte ouvida pelo O POVO afirma que os prazos para o pagamento já foram esticados pelo menos três vezes. "Semana passada falaram que pagariam até o fim da semana, depois disseram que pagariam até o último dia 13. Agora, o prazo é pagar até dia 21", denuncia. Há também quem reclame da discordância de valores acertados para o trabalho.

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) informa que iniciou o pagamento das cooperativas no último dia 13. A promessa da Sesa é de que os salários dos profissionais de saúde cooperados devem ser regularizados até segunda-feira, 18. A pasta, no entanto, não justificou o atraso e não respondeu quantos profissionais foram afetados.