PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

"Se nada for feito, pronunciamentos do Ministério se resumirão a informar número de mortos", dizem cientistas em carta a Teich

No documento endossado por mais de 60 entidades científicas do País, um plano de ações é cobrado ao ministro da Saúde

Lais Oliveira
13:31 | 30/04/2020
 Saída de Nelson Teich gera repercussões negativas (Foto: EVARISTO SA/AFP)
 Saída de Nelson Teich gera repercussões negativas (Foto: EVARISTO SA/AFP)

Em carta ao ministro da Saúde, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) cobra um plano de ação de enfrentamento à pandemia de Covid-19. O documento foi encaminhado a Nelson Teich nessa quarta-feira, 29, e é assinado por Ildeu de Castro Moreira, presidente do grupo. Mais de 60 entidades científicas do País subscrevem a carta. A SBPC alerta que a ausência de medidas efetivas pode resumir os pronunciamentos do Ministério da Saúde "a informar o número de mortos".

O documento ressalta que o plano esperado deve conter ações emergenciais considerando o agravamento do cenário nacional. "Ainda não atingimos o pico da epidemia e o número de vítimas fatais continua em ascensão vertiginosa. Se nada for feito nos próximos dias, os pronunciamentos do MS se resumirão a informar o número de mortos", diz um dos trechos.

Além disso, a SBPC aponta que as diretrizes estipuladas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que incluem o isolamento dos casos e o distanciamento social, "são as principais ações para conter o aumento do número de vítimas e não sobrecarregar o sistema de saúde."

LEIA TAMBÉM | Brasil ultrapassa as 5 mil mortes e passa de 70 mil casos da Covid-19

O grupo de cientistas pede celeridade nas providências a serem tomadas pelo Ministério da Saúde e destaca o exemplo de outros lugares do mundo. A SBPC deixou ainda quatro questionamentos para serem respondidos pela pasta:

- Quantas Unidades de Saúde já foram, estão sendo, ou serão contempladas com o fornecimento de respiradores que permitam salvar a vida dos doentes mais graves de SARS-Cov-2?

- Que providências estão sendo tomadas para que haja o aumento expressivo no número de pessoas testadas para que possamos estimar o cenário epidemiológico com mais clareza e precisão?

- O compromisso assumido de fornecimento de equipamentos de proteção aos profissionais da saúde que estão na frente do combate à Covid-19, arriscando suas vidas, está sendo cumprido com a urgência necessária?

- Há um plano para o uso dos leitos hospitalares de modo integrado? Diversos países fizeram a integração das redes hospitalares públicas e privadas por decisões dos governantes, com ótimos resultados na distribuição e atendimento dos doentes mais graves.

Na última terça-feira, 28, ao ser perguntado sobre o recorde de mortes no Brasil por infecção do coronavírus, o presidente respondeu "E daí?". A declaração foi amplamente criticada. Leia a carta da SBPC na íntegra.