PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Moradores denunciam falta de água em bairros de Fortaleza durante quarentena

Na Barra do Ceará, bairro com alta taxa de mortalidade decorrente da Covid-19, os moradores alegam estar há três dias sem acesso à água

Ismia Kariny
11:59 | 27/04/2020
Entre os bairros afeitados, está a Barra do Ceará com maior taxa de letalidade na Capital (Foto: MAURI MELO)
Entre os bairros afeitados, está a Barra do Ceará com maior taxa de letalidade na Capital (Foto: MAURI MELO)

Distribuição de água é suspensa em pelo menos seis bairros de Fortaleza e moradores relatam preocupação com a possibilidade de contágio do novo coronavírus. A Capital é o município cearense que registra maior número de casos confirmados da Covid-19. Entre os bairros que apresentam falta de água estão Antônio Bezerra, Quintino Cunha, Pirambu, Jardim Iracema, Álvaro Weyne e Barra do Ceará.

Em relatos na página oficial da Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) no Facebook, moradores da Barra do Ceará afirmam que estão há três dias sem água. “Tem uma pandemia rolando, a taxa de mortalidade na Barra é altíssima. Cadê a água?”, questionou uma internauta.

O estudante Felipe Silva disse ao O POVO que entrou em contato com a Cagece, mas a Companhia alegou que ainda não há previsão de retorno da distribuição de água para o bairro Jardim Iracema, onde ele mora. “A Cagece não fez nenhum comunicado nas redes sociais; eles cobram que fiquemos em casa e cuidemos da saúde, mas como?”, pondera Felipe.

A orientação do Ministério da Saúde é para a higienização constante das mãos, com água e sabão ou álcool gel. No entanto, conforme os relatos, sem o acesso à água, a medida de prevenção a Covid-19 se torna inviável para os moradores. O POVO entrou em contato com a Companhia para esclarecer as denúncias e foi informado por meio de nota que o abastecimento nos bairros já foi retomado.

De acordo com a Companhia, neste domingo, 26, a suspensão do abastecimento em alguns setores hidráulicos da área norte de Fortaleza precisou ser suspenso emergencialmente para retirada de vazamentos de grande proporção na rede de distribuição.

“A companhia ressalta que não houve desabastecimento total dos bairros, porém, áreas mais elevadas ou localizadas em pontas da rede perceberam intermitência na distribuição de água. Como o sistema funciona por pressão, o equilíbrio total do abastecimento deve ocorrer em até 24h, nessas áreas”, diz trecho da nota.

Serviço

Durante o estado de emergência na saúde pública, as ocorrências devem ser encaminhadas à Cagece por meio dos canais de atendimento disponíveis, como o Cagece App (disponível para Android e iOS) e a Central de Atendimento (pelo telefone 0800 275 0195), disponível 24h por dia.

Os usuários também podem receber atendimento por meio da Gesse, a assistente virtual da companhia, que atende pelo site www.cagece.com.br. Segundo a Cagece, nesse período não há atendimento presencial nas lojas e núcleos de atendimento no interior do Estado.