PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Fortaleza tem mortes por coronavírus em 90 bairros; letalidade avança sobre a periferia

O José Walter continua sob o status de "investigação isolada" da sua situação devido ao número significativo de óbitos e a relação com os casos confirmados.

Matheus Facundo
21:31 | 27/04/2020
 Movimentação na UPA do bairro José Walter no dia 4/4/2020 (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
Movimentação na UPA do bairro José Walter no dia 4/4/2020 (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

Com 316 mortes pelo novo coronavírus, Fortaleza segue como o município de maior letalidade da doença no Ceará. Informe epidemiológico semanal da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) aponta 90 bairros, dos 121, com mortes na Capital. O boletim destaca o registro da dispersão de vítimas em bairros da periferia.

Grande Vicente Pinzon, Barra do Ceará e Grande Pirambu e a confluência dos bairros Fátima, Joaquim Távora, São João do Tauape e Alto da Balança são as áreas de preocupação da SMS em relação às ocorrências de morte por Covid-19, por causa da vulnerabilidade social.

Mapa da distribuição de óbitos por coronavírus em Fortaleza
Mapa da distribuição de óbitos por coronavírus em Fortaleza (Foto: Reprodução/SMS)

O José Walter continua sob o status de "investigação isolada" da sua situação devido ao número significativo de óbitos e a relação com os casos confirmados. O bairro  está com a letalidade em 15,3%, quase 10 pontos percentuais a mais que a taxa do Ceará (5,9%). São 52 casos e oito óbitos. As confirmações de infecções mais que dobraram em relação ao último boletim, no dia 22 de abril.

O bairro Granja Lisboa também entrou nesta classificação. O território tem 41 casos e 8 óbitos, resultando em uma taxa de letalidade de 17%. Na Regional III, os bairros Autran Nunes e Quintino Cunha concentram os maiores índices, com 21,7% (23 casos e 5 mortes) e 16% (37 casos e 6 mortes) de letalidade.

A Barra do Ceará, outro bairro periférico que preocupa com a escalada da doença, tem 17% de letalidade, com 88 casos e 15 óbitos. O Vicente Pinzon tem mortalidade de 12,5%, com 96 casos confirmados e 12 óbitos.

Tendência de transição para a periferia

O novo boletim desta segunda-feira, 27, consolida a tendência de deslocamento das infecções por coronavírus para bairros de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e alta vulnerabilidade. São exemplificados os casos de regiões como o Grande Vicente Pinzon (baixo IDH) e Cais do Porto (muito baixo IDH).  Pirambu, Cristo Redentor, Álvaro Weyne, Barra do Ceará, Jardim Guanabara, Vila Velha e Álvaro Weyne, bairros de baixo IDH também apresentam índice crescente de casos.

O informe mostra que os casos em bairros de muito alto IDH, como Meireles e Aldeota, região considerada o epicentro da epidemia, apesar de continuarem crescendo, tiveram "pouca variação até o fim da primeira quinzena de abril".

Coronavírus no Ceará

O Ceará chegou a 6.783 casos confirmados do novo coronavírus nesta segunda, 27 de abril (27/04), 523 casos a mais que o registrado um dia antes. São 397 mortes pela doença, 21 a mais que o registrado no domingo. Os dados são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizada às 17h17min.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >