PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Três pessoas são detidas em Fortaleza durante carreata contra isolamento social

Uma mulher, de 32 anos, e dois homens, de 26 e 67, foram detidos por violação do decreto que proíbe aglomeração de pessoas durante pandemia do coronavírus

17:56 | 19/04/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 19-04-2020: Carreata Pro-Bolsonaro e pela AI-5. manifestantes sairam da Avenida Aguanambi proximo ao Supermercado EXTRA e foram para Comando da 10ª Região Militar, no bairro Centro, mesmo com o decreto do Governador Camilo Santana de ficar em casa e não fazer manidestação para não haver aglomeração. (Foto: Aurelio Alves/O POVO) (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 19-04-2020: Carreata Pro-Bolsonaro e pela AI-5. manifestantes sairam da Avenida Aguanambi proximo ao Supermercado EXTRA e foram para Comando da 10ª Região Militar, no bairro Centro, mesmo com o decreto do Governador Camilo Santana de ficar em casa e não fazer manidestação para não haver aglomeração. (Foto: Aurelio Alves/O POVO) (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

Três pessoas foram detidas neste domingo, 19, em Fortaleza, por violação ao Decreto Estadual nº 33.519, que proíbe aglomeração de pessoas em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O isolamento social é a principal medida de enfrentamento à disseminação da doença no Ceará. Detenções aconteceram na Avenida Alberto Nepomuceno, no Centro de Fortaleza, durante carreata contra o isolamento social que teve início por volta das 9 horas desta manhã, na avenida Aguanambi.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS), um dos detidos é uma mulher de 32 anos apontada como organizadora da carreata. Ela e os dois homens, de 26 e 67 anos, foram levadas para realização de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), no plantão do 2º Distrito Policial.

Equipes do Comando de Policiamento de Choque (CPChoque) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) realizavam patrulhamento na região quando as pessoas saíram dos seus carros e iniciaram aglomeração na sede da 10ª Região Militar. Manifestantes foram orientados por policiais a voltar para suas residências, mas o trio resistiu. Eles respondem por expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e por infração de medida sanitária preventiva. As penas máximas somadas preveem detenção de até dois anos e multa.

O governador Camilo Santana (PT) garantiu que o atual decreto de isolamento social, que expiraria no fim da próxima segunda-feira, 20, será renovado. Portanto, o anúncio da prorrogação das medidas deverá ser feito até essa data. O tempo de vigência da nova medida, segundo ele, será definido a partir de estudos feitos pela Comissão de Saúde que orientará o chefe do Executivo estadual sobre duração das medidas de distanciamento.