PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Grupo de universitários e profissionais cearenses busca recursos para desenvolver modelo de ventilador mecânico de baixo custo

O projeto "Rispira" é formado por uma equipe multidisciplinar de estudantes e especialistas do Ceará. O dispositivo projetado poderá ser cinco vezes mais barato que o equipamento do mercado

Lais Oliveira
12:17 | 16/04/2020
O ventilador mecânico criado pelo projeto Rispira foi orçado em R$ 3 mil reais, enquanto o aparelho mais barato existente hoje custaria em torno de R$ 15 mil (Foto: Divulgação/Projeto Rispira)
O ventilador mecânico criado pelo projeto Rispira foi orçado em R$ 3 mil reais, enquanto o aparelho mais barato existente hoje custaria em torno de R$ 15 mil (Foto: Divulgação/Projeto Rispira)

Enquanto o mundo inteiro está em disputa por respiradores mecânicos pulmonares por causa da pandemia, um grupo de universitários e profissionais do Ceará vem desenvolvendo um dispositivo que poderá ser até cinco vezes mais barato que o normal. A equipe do projeto “Rispira” é formada por 22 pessoas das áreas de engenharia, saúde, design e marketing e levou três semanas para projetar um ventilador mecânico de baixo custo. Agora, eles buscam recursos para produzir o protótipo.


O grupo tem, em sua maioria, estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), mas também envolve integrantes da Universidade Estadual do Ceará (Uece), da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade de Fortaleza (Unifor) e do Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec). O estudante Eduardo Morais, 30, do curso de Engenharia Mecatrônica no IFCE, foi quem teve a ideia de formar a equipe para idealizar um equipamento que ajudasse os pacientes internados com Covid-19.


O ventilador mecânico criado pelo projeto Rispira foi orçado em R$ 3 mil reais, enquanto o aparelho mais barato existente hoje custaria em torno de R$ 15 mil, segundo Eduardo. “No respirador mecânico comum tem o ventilador e o umidificador. Geralmente esses equipamentos são separados um do outro. No nosso, os dois estão integrados. Ele é portátil, leve e de baixo custo”, explica.


Para integrar as duas peças do ventilador mecânico do Rispira a equipe de engenharia fez uma carcaça plástica, evitando riscos de choque. O aparelho apresenta um design simples, com bateria interna e interface limpa, além de fácil ajuste de temperatura do umidificador.


De acordo com Eduardo, que também é técnico em Eletrotécnica, cada pessoa do projeto está trabalhando de sua residência. “Pensei que se cada um fizesse uma parte do equipamento em sua casa, daria certo. Vai fazer três semana que estamos trabalhando direto no projeto. É uma força-tarefa de estudantes de vários instituições de ensino”, afirma.


Projeto necessita de R$ 5 mil para produzir o protótipo


A equipe do “Rispira” se organiza entre os setores de diretoria, engenharia, marketing e finanças. O valor que está sendo arrecadado na vaquinha virtual criada é de R$ 5 mil, pensando nos custos adicionais com frete de materiais e outros acessórios. Depois de levantar a quantia necessária, os integrantes da iniciativa devem compartilhar a montagem do ventilador entre até cinco pessoas. Cada um estará responsável por uma parte do equipamento em sua casa.


Eduardo estima que até junho o protótipo do “Rispira” deve estar pronto. A partir daí, eles deverão acionar a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para regularizar o aparelho, após passar por uma vistoria para saber se ele funciona como deveria. Só então, o ventilador mecânico genuinamente cearense poderá começar a ser utilizado no auxílio a pacientes com Covid-19.


Saiba como ajudar o projeto "Rispira":

Doe na vaquinha virtual
Mais informações: @rispira


Foto: Equipamento projetado pelos integrantes do projeto "Rispira" (Reprodução/Instagram)