PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Empresa japonesa propõe aluguéis de curta duração para evitar "corona-divórcios"

Em seu site, a empresa Kasoku, concorrentes local do Airbnb, promove agora suas residências mobilizadas como "refúgios temporários" à disposição daqueles que desejam escapar por um tempo de suas famílias

08:08 | 15/04/2020
Casal em frente ao
Casal em frente ao "Lennon Wall" mascarado, em Praga (Foto: Michal Cizek / AFP)

"Antes de considerar o divórcio, nos procure". Uma empresa japonesa adaptou sua mensagem no período de confinamento para combater a Covid-19, sugerindo a pessoas casadas que descansem em seus apartamentos de aluguel de curta de duração.

Em seu site, a empresa Kasoku, concorrentes local do Airbnb, promove agora suas residências mobilizadas como "refúgios temporários" à disposição daqueles que desejam escapar por um tempo de suas famílias, seja para trabalhar de maneira mais tranquila ou apenas para espairecer.

Os japoneses não estão proibidos de sair de suas casas, apesar da declaração de estado de emergência em várias regiões do arquipélago na semana passada.

O governo, no entanto, recomenda que as pessoas limitem os deslocamentos ao essencial. O teletrabalho foi adotado em larga escala e os colégios estão fechados.

A Kasoku teve a ideia depois de tomar conhecimento do aumento dos divórcios na China e Rússia após as medidas de contenção, explicou à AFP Kosuke Amano, porta-voz da empresa.

A empresa oferece uma tarifa inicial bastante acessível de 4.400 ienes (37,50 euros) por noite, com a opção gratuita de 30 minutos de consulta com um advogado especializado nos procedimentos de divórcio.

A campanha de comunicação, que começou em 3 de abril, atraiu mais de 20 clientes, segundo Amano.

A Kasoku tem quase 500 residências no país, principalmente em Tóquio, que atualmente estão vazias em sua maioria devido ao colapso do turismo, mas a empresa destacou que a demanda por "escritórios remotos" permite compensar parcialmente o impacto.


Acesse a cobertura completa do Coronavírus >