PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Com autorização do MS, médicos realizam teleatendimento no Ceará durante período de quarentena

Datada de 20 de março, a Portaria nº 467 tem caráter excepcional e temporário e estabelece diversas orientações para atender aos preceitos éticos da área

15:39 | 15/04/2020

 

Com o aval do Ministério da Saúde, através da publicação da Portaria nº 467, alguns atendimentos médicos podem ser realizados à distância, através de telemedicina, buscando evitar aglomerações e quebra da recomendação de isolamento social durante a epidemia do novo coronavírus (Covid-19) no País. Além de suporte assistencial, consultas, monitoramento e diagnóstico, o teleatendimento médico também disponibiliza receita eletrônica com assinatura digital certificada.

Datada de 20 de março, a medida tem caráter excepcional e temporário e estabelece diversas orientações para atender aos preceitos éticos da área. O atendimento pode ser realizado por telefone, chamada de vídeo ou através de aplicativo de mensagens, contando que os dados clínicos sejam registrados em prontuário.

Em Fortaleza, a Clínica Senescence tem realizado consultas com hora marcada sem a necessidade de deslocamento do paciente até o consultório. Conforme a explicação da médica Laura Fripp, a única diferença é a limitação do exame físico. "Os demais exames seguem igualmente: é feita a investigação clínica e questionamentos a respeito da situação do paciente. A medicina não tem só o exame físico como base de critério e diagnóstico. Questionamentos embasados em cada situação podem ser feitos pelo profissional”, esclarece.

Para a emissão de receituário eletrônico, ainda seguindo as determinações da Portaria nº 467, o documento recebe uma assinatura digital certificada por uma plataforma a que tem acesso o médico e o farmacêutico. Para a emissão dessa receita, o paciente recebe uma SMS que será apresentada à farmácia para a aquisição dos remédio prescritos. A opção de usar as mensagens de texto foi adotada para abranger o serviço a quem não possui acesso à internet.

“No caso da suspeita de Covid, em uma chamada de vídeo, a gente tem como ver o estado geral da pessoa, em relação à frequência respiratória, como ela está falando. Tudo isso é método de abordagem e investigação, além dos relatos dela. Segundo o protocolo do Ministério da Saúde, devido à pandemia, síndromes gripais são notificadas e consideradas suspeitas. Dependendo do estado do paciente, se leve, moderado, ou grave, vêm as orientações: ficar em casa, procurar a clínica ou uma emergência; vai depender dos critérios com que o profissional avalia remotamente”, orienta Laura Fripp.