PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Conheça a origem do novo coronavírus, causador da Covid-19

A variação da família coronavírus teve sua origem amplamente discutida, entretanto alguns fatos já são absolutos em relação ao causador da pandemia

Izadora Paula
15:21 | 06/04/2020
Coronavírus: da aldeia para o globo (Foto: AFP)
Coronavírus: da aldeia para o globo (Foto: AFP)

Desde o dia 31 de dezembro de 2019 até esta segunda-feira, 6, já são mais 1,2 milhão de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19), com o número de mortes ultrapassando os 72 mil. A variação da família coronavírus teve sua origem amplamente discutida, entretanto alguns fatos já são absolutos em relação ao causador da pandemia. Entenda a origem da Covid-19.

Não é a primeira vez que nos deparamos com doenças causadas pelo coronavírus, os primeiros tendo sido identificados na décadas de 1960, de acordo com o Ministério da Saúde (MS). Anteriormente, outras variações também causaram grande impacto mundial, como foi o caso do Mers-CoV e do Sars-CoV. Estes chegaram aos humanos por contato com animais - gatos, no caso da Sars, e dromedários, no vírus Mers.

O novo coronavírus, causador da Covid-19, é identificado como Sars-CoV-2. Conforme cientistas chineses que sequenciaram o genoma do vírus logo depois que este começou a se propagar em Wuhan, o Sars-CoV-2 evoluiu para atingir, principalmente, uma proteína que está presente em alguns tecidos corporais, como nariz e boca.

Com essas informações, os cientistas consideram dois cenários possíveis para a origem do vírus: ele pode ter passado por seleção natural dentro de um hospedeiro animal, chegando aos seres humanos já com sua capacidade infecciosa. Foi assim com os surtos de Sars e Mers que no passado. Neste caso, o hospedeiro definitivo foi o morcego, que teria passado o vírus para um hospedeiro intermediário, este último tento passado ao ser humano por provável consumo de sua carne.

A segunda teoria afirma que o vírus passou do animal para o humano, mas só teria se tornado patogênico no corpo do homem. A capacidade de transmissão entre humanos pode ter sido desenvolvida pouco antes do início da epidemia, enquanto o vírus ainda estava no corpo dos primeiros infectados.

Já que os estudos apontam que o vírus evoluiu, comprovando a seleção natural, os cientistas apontam que não se trata de um vírus projetado em laboratório. Se isto tivesse ocorrido, o genoma encontrado seria similar a algum vírus patogênico já conhecido.

O novo coronavírus tem menos similaridades com o Sars e com o Mers do que com vírus encontrado em pangolins, animais que foram apontados como hospedeiro intermediário do novo coronavírus. No final do mês de março, no entanto, descobriu-se que a semelhança encontrada entre o Sars-CoV-2 e o vírus encontrado nos animais só se refere a uma parte do código genético do causador da Covid-19.

O genoma inteiro encontrado no animal tem entre 85,5% e 92,4% de semelhanças com o vírus humano, o que pode parecer muito, mas ainda não é o suficiente para afirmar que o pangolim foi a origem da doença. Para isso, espera-se uma semelhança superior a 99%.

A porcentagem encontrada, junto a outros diversos vírus presentes no pangolim, portanto, não são suficientes para culpar ou inocentar o animal.

Os estudos referentes ao caminho percorrido pelo coronavírus dão certeza de que o morcego foi o hospedeiro definitivo; falta ainda determinar o animal que recebeu o vírus antes deste ser repassado ao ser humano. De todo modo, pesquisadores, ativistas e lideranças mundias vem pedindo o fim do comércio de vida selvagem em países asiáticos.

Fake news sobre a origem do coronavírus

Enquanto muitos estudos em torno da origem do coronavírus são realizados, algumas informações incorretas têm sido disseminas na internet. Uma das mais difundidas foi o vídeo de uma TV italiana, datado de 2015, que comprovaria que o coronavírus (Covid-19) teria sido criado em um laboratório na China.

A doença seria, portanto, uma conspiração chinesa para vencer uma possível Terceira Guerra Mundial. Embora o programa citado tenha, realmente, existido, ele não conseguiu provar nada contra a China.

De acordo com o site Corriere della Sera, a reportagem foi feita com base em uma matéria da revista Nature, que esclareceu depois que o vírus mencionado no estudo não tem relação alguma com o vírus natural que causa a Covid-19. Além disso, existem os estudos de cientistas que sequenciaram o genoma e apontam sua origem natural.

Com informações do G1, Super Interessante, revista Saúde da editora Abril e Boatos.org

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >