PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Plataforma lançada pelo IFCE reúne comércios e serviços do Ceará e busca movimentar economias locais

O sistema #FiquenoLar é colaborativo e gratuito; Em seu primeiro dia, mais de 100 estabelecimentos foram cadastrados.

14:15 | 01/04/2020
No primeiro dia de atuação, a plataforma recebeu mais de 100 cadastros (Foto: Reprodução )
No primeiro dia de atuação, a plataforma recebeu mais de 100 cadastros (Foto: Reprodução )

Pensando em auxiliar os comerciantes a minimizar os impactos econômicos causados pelo coronavírus, professores e estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) criaram a plataforma #FiqueNoLar. A proposta lançada nesta terça-feira, 31, disponibiliza informações de empreendimentos comerciais e prestadores de serviços essenciais no Estado.

A plataforma foi elaborada em três dias e permite que os comerciantes de cada cidade se cadastrem por meio de informações básicas como itens e tipos de produtos e serviços ofertados, horário de funcionamento, formas de pagamento e de entrega. A negociação dos produtos, porém, é feita entre cliente e empreendedor. A página principal do #FiqueNoLar se organiza em 11 categorias comerciais, incluindo supermercado, farmácia, pizzaria, água e gás, por exemplo, além de um espaço para locais com outros produtos.

A iniciativa foi desenvolvida em conjunto por uma equipe formada por sete professores e dez alunos bolsistas dos laboratórios de Redes de Computadores (LAR), no campus de Aracati, e de Inovação Tecnológica (LIT), em Fortaleza. De acordo com professora Carina Teixeira de Oliveira, do curso de Ciência da Computação do IFCE em Aracati após o lançamento do projeto, já existem cerca de 25 municípios com estabelecimentos cadastrados em todo o Ceará. Também foram registrados mais de 1.000 acessos no primeiro dia da ferramenta e mais de 100 cadastros de estabelecimentos.

Diferente de outros serviços de venda on-line, o professor Wendell Rodrigues destaca que a plataforma #FiqueNoLar se diferencia pela menor burocracia para que o empreendedor se cadastre. “Ao se cadastrar um estabelecimento, ele estará automaticamente disponível. A interação entre consumidor e comerciante acontece de forma direta entre eles. Estamos disponibilizando apenas uma ferramenta sem intuito de fazer parte da negociação”, ressalta.

Com as atividades suspensas nas instituições de ensino superior do Estado para prevenir o coronavírus, o professor explica que a equipe se utilizou de reuniões online por meio por meio do Whatsapp e videoconferências para se mobilizar. Ele estima um investimento de pelo menos R$ 20 mil para manter a plataforma no ar. O #FiqueNoLar funciona no desktop e também como se fosse um aplicativo carregado no navegador do próprio celular.

Devido à urgência com a qual a demanda foi feita para os desenvolvedores, a primeira versão do sistema #FiqueNoLar funciona de modo colaborativo e aberto. Isto é, qualquer pessoa pode fazer o cadastro do seu negócio sem um processo de triagem. Porém, os professores salientam que a plataforma está em constante aperfeiçoamento. “Temos uma equipe a todo momento acompanhando o comportamento do sistema. Qualquer tipo de anormalidade, estaremos tentando resolver em tempo real”, comenta a professora Carina.

O pró-reitor de Pesquisa do Instituto, Wally Menezes, ressalta que o projeto está aproximando as pessoas das empresas. Assim, deverá ajudar a compra e venda de produtos, evitando a exposição da população ao Covid-19. “A plataforma contribuirá muito para os empreendedores que têm o menor capital de giro possam movimentar seus negócios com segurança, gerando renda e movimentando a economia”, considera.

Acesse a plataforma Fique no Lar:fiquenolar.ifce.edu.br.