PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Rede de hospitais cria equipamento novo para proteção de profissionais da saúde

O mecanismo cria uma barreira física entre os profissionais de saúde e os pacientes infectados, sem que a mobilidade dos profissionais para procedimentos seja perdida

Gabriel Lopes
19:10 | 31/03/2020
Caixa para ajudar em procedimentos com pacientes com Covid-19 (Foto: Divulgação)
Caixa para ajudar em procedimentos com pacientes com Covid-19 (Foto: Divulgação)

Para diminuir o risco de contaminação dos profissionais de saúde que lidam diretamente com pacientes contaminados pela covid-19, a rede de hospitais Hapvida desenvolveu um equipamento de proteção, feito de acrílico, que cria uma barreira física entre tais profissionais e pacientes. A iniciativa tem como objetivo evitar que secreções dos contaminados entrem em contato direto com os médicos e enfermeiros, que não perdem mobilidade com o equipamento.

A ideia veio da equipe do Hapvida de Teresina, que procurou o fornecedor da rede de hospitais. Os testes foram feitos e os equipamentos já foram implementados em duas unidades de saúde da rede em Fortaleza, que faz parte do projeto piloto. A distribuição do mecanismo para as 42 unidades do Hapvida pelo Brasil já foi requerida e deve ser concretizada até o final da próxima semana.

Segundo o médico e superintendente nacional da rede própria do Hapvida, Anderson Nascimento, os outros EPIs (óculos de proteção, máscara N95, luvas e capote) terão maior durabilidade com o novo equipamento, que é um complemento à segurança dos profissionais de saúde. Ele também ressalta que o mecanismo é reutilizável e que um deles por unidade de saúde é suficiente no momento.

Além disso, Anderson ressalta que a intenção é patentear a inovação e difundir o equipamento para outras redes de saúde, públicas e privadas. O custo de fabricação de cada um desses equipamentos gira em torno de R$ 250 e R$ 300, de acordo com o médico.

"Nesse momento, além das técnicas que já temos, é preciso se reinventar, buscar novas formas de manter a segurança de todos dentro dos hospitais."

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >