PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Queda no consumo de gasolina ainda não impacta em demissões nos postos de combustíveis

Além do baixo movimento nos postos, redução do preço de gasolina e diesel acontece por causa da baixa do barril de petróleo no mercado internacional

Victor Hugo Pinheiro
15:52 | 31/03/2020
Redução do preço da gasolina acontece por conta da baixa do petróleo no mercado internacional (Foto: AURELIO ALVES)
Redução do preço da gasolina acontece por conta da baixa do petróleo no mercado internacional (Foto: AURELIO ALVES)

As medidas de quarentena anunciadas pelo Governo Estadual estão deixando as pessoas boa parte do dia dentro de casa. Com pouca gente saindo das residências, a circulação de transportes nas ruas da Capital também cai drasticamente. O que acaba facilitando a queda no consumo de gasolina e diesel. Em razão da redução, surge a preocupação sobre o risco de existir um corte de funcionários dos postos de combustíveis.

Apesar da preocupação em relação ao assunto, o assessor de Economia do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE), Antônio José Costa, afirma que não houve corte no número de funcionários. “Até o momento, não. Os postos estão colocando as pessoas de férias, os funcionários vulneráveis (os que pertencem ao grupo de risco) em casa. Estão ficando com o mínimo de pessoas trabalhando para atender a população. Então, até o momento, não influenciou em nada no quadro de contratados”

Um outro problema que está atormentando os empresários do setor é a baixa quantidade de vendas de combustíveis. Segundo Antônio José, em comparação aos dois primeiros meses do ano (janeiro e fevereiro), alguns postos apresentaram queda 50% a 80% no número de vendas do produto neste mês de março.

A queda do barril de petróleo no mercado internacional está também influenciado na diminuição do preço médio da gasolina. Como também destaca Antônio José, que: “o valor do barril está em torno de 20 dólares, enquanto no passado já custou até 70 dólares”. Com a redução do fornecedor, o mesmo acontece quando os postos vendem aos clientes. Por conta deste cenário, a Petrobras segue o panorama mundial e reduz o preço de gasolina e diesel.

O levantamento semanal de preços da gasolina feito pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) - feita entre os dias 22 a 28 de março - indica que o valor médio é de R$ 4,49, quando recentemente custou R$4,53. Enquanto o diesel tem o preço médio de R$ 3,70, e, anteriormente, custou R$ 3,78.