PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Home office com filhos: conciliar trabalho com crianças pode ser difícil, mas organização e diálogo facilitam caminhada

Especialistas da Robert Half e Associação Brasileira de Recursos Humanos dão orientações para que o trabalho remoto com os familiares em casa seja produtivo

Gabriela Feitosa
13:40 | 31/03/2020
Por conta da pandemia do novo coronavírus, empresas de diferentes segmentos estão optando pelo home office, também conhecido como trabalho remoto ou teletrabalho (Foto: Divulgação)
Por conta da pandemia do novo coronavírus, empresas de diferentes segmentos estão optando pelo home office, também conhecido como trabalho remoto ou teletrabalho (Foto: Divulgação)

Para quem pode trabalhar em casa neste período de pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, o isolamento é uma das formas mais eficazes de evitar disseminação da infecção. O chamado home office, no entanto, pode se mostrar um desafio, principalmente para quem precisa conciliar o trabalho e os cuidados com crianças.

Desde que a crise do novo coronavírus teve início, nunca se falou tanto em home office. Por conta da pandemia, empresas de todo o país têm adotado o expediente à distância como alternativa para manter as atividades. Ao mesmo tempo, alguns estados cancelaram aulas na rede pública estadual e algumas escolas particulares também decidiram adotar a medida como forma de prevenção.

Diante disso, ser produtivo e render tanto quanto no ambiente de trabalho original pode parecer um horizonte distante - mas não impossível. O POVO listou cinco dicas de especialistas da Robert Half, empresa de recrutamento especializado, e da Associação Brasileira de Recursos Humanos (Abrh), para ajudar nesse momento de readequação.

Como trabalhar e, ao mesmo tempo, cuidar das crianças que estão sem aulas? Confira!

Planeje o dia deles

Você precisa se concentrar no seu trabalho, por isso, encontre maneiras de ajudar seus filhos a se divertirem. Quebra-cabeças, jogos e livros são ótimos e ajudam a evitar o tédio e, consequentemente, as interrupções.

A consultora organizacional e presidente, no Ceará, da Associação Brasileira de Recursos Humanos (Abrh), Janete Bezerra, garante que a maior vantagem do home office é estar em um ambiente seguro. Mas existem outros, como ela mesmo coloca: “ter a oportunidade de estar em casa com sua família, poder parar naquele momento e fazer uma refeição junto à ela”, contou ao O POVO.

Isso não garante que os conflitos não irão surgir, mas é preciso trabalhar a paciência e entender que a escolha de ficar em casa é uma garantia de saúde coletiva. Explicar isso aos pequenos pode ajudar a suportar o período. “Crianças ficam impacientes. Eles também tiveram perdas, como deixar de estar com os amigos, de estar na escola, de ir para o parquinho. Isso deixa as crianças estressadas”, alerta Janete.

Lembre-se que crianças são crianças

Mesmo com todo planejamento, eles ficarão entediados, frustrados e quebrarão as regras de tempos em tempos. Quando o silêncio for crucial, explique a importância de eles não interromperem e peça que eles aguardem até que você esteja disponível.

A depender do tamanho da família, as estratégias utilizadas devem ser diferentes. Uma coisa é certa, no entanto: organizar uma nova rotina e explicar isso às crianças é essencial. “É preciso conversar com a criança, explicar o motivo de os pais estarem em casa. Elas não estão acostumadas a verem os pais o dia todo em casa trabalhando, mas em outros contextos. Eles têm que compreender que a rotina da casa vai mudar”, explica Janete Bezerra. Criar e estruturar os ambientes das crianças, onde elas brincam e estudam, por exemplo, é uma boa alternativa.

Outro ponto importante apontado pela consultora organizacional é o acesso que as crianças têm à Internet. Segundo ela, a plataforma pode ser um aliado nesse momento, se utilizada com cuidado: liberar mais o acesso para que as crianças se informem e tenham a companhia dos colegas, mesmo que virtualmente, pode deixar elas menos estressadas.

Defina seu espaço de trabalho

Seja um escritório, uma escrivaninha ou mesmo a mesa de jantar. Deixe claro que, quando estiver naquele espaço, estará em horário de trabalho e livre de interrupções.

Segundo a consultora, é importante sempre lembrar que, nesse período, o trabalho foi levado para o ambiente familiar, então é necessário ter paciência quando as crianças estiverem estressadas, carentes, com necessidades especiais. “Se der para parar, não custa tirar dez minutos para conversar com ela”.

Vista-se profissionalmente

Não precisa ficar de terno e gravata, mas também não passe o dia de pijamas. Essa atitude mostra que você está trabalhando. Se for o caso, use fones de ouvidos e até o crachá da empresa como sinais de que não pode ser interrompido.

Estando em home office, é preciso organizar o ambiente como se estivesse no local de trabalho original. Manter tudo que precisa no local e se arrumar para entrar nesse ambiente ajudam a manter o “clima” de trabalho. “Nada de ficar com pijama ou deixar a criança do lado brincando”, alerta Janete.

Crie uma rotina

Defina horários para o almoço, os intervalos e o horário de começar e terminar a trabalhar. Pense em uma recompensa se eles se comportarem, como verem um filme juntos ou brincarem quando o trabalho terminar.

Apontada pela consultora organizacional como as principais estratégias para encarar o home office com filhos, entender que a vida mudou e readequar a rotina a essas transformações, são passos urgentes. Organização e honestidade com aquilo que pode ou não ser feito ajudam a manter a calma neste momento.

Segundo Janete, a questão fica mais latente quando falamos sobre mulheres que são mães, já que elas, estruturalmente, ficam mais sobrecarregadas. “Outra desvantagem do home office é quando o casal não consegue se organizar na nova rotina. Trabalhar em casa sem cooperação do cônjuge pode atrapalhar muito”, disse. “Mães ficam com mais trabalhos, sobrecarregadas. Elas precisam também se cuidar”, concluiu.

A presidente da Abrh deu dicas: grupos de apoio, de terapia, tem sido uma boa saída para este período de isolamento. A associação mesmo, segundo Janete, faz lives em seu Instagram todos os dias às 18 horas, falando sobre saúde, questões trabalhistas, como se cuidar nesse momento e outros temas. Você pode acompanhar aqui.