PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Juntos, mas separados! Conheça opções de aplicativos para fazer reuniões virtuais

A quarentena tem feito com que aplicativos tenham altas significativas. Na Espanha, um aplicativo teve alta de 10 vezes na base de usuários em uma semana

Leonardo Maia
11:45 | 26/03/2020
Usuários podem escolher entre opções mais corporativas ou voltadas para comunicação com familiares ou amigos. (Foto: Mohamed Hassan/Pixabay)
Usuários podem escolher entre opções mais corporativas ou voltadas para comunicação com familiares ou amigos. (Foto: Mohamed Hassan/Pixabay)

Mesmo em quarentena, o isolamento social completo nem sempre é possível ou o mais recomendado. Entrar em contato com outras pessoas, mesmo virtualmente, pode ser necessário para resolver questões no trabalho e é útil para ter um pouco mais de conforto em momentos de solidão.

O POVO preparou uma lista com os aplicativos que estão sendo mais usados para esse tipo de contato desde o início da quarentena. Há opções mais voltadas para a comunicação corporativa ou para a comunicação entre familiares ou amigos. Confira:

Hangouts

O aplicativo vem se consolidando como uma das maiores ferramentas de vídeo chamada. Propriedade de uma das gigantes da internet, o sistema promete bate-papo em grupo para 250 pessoas e transmissões ao vivo para mais de 100 mil. Além disso, a ferramenta permite que os usuários gravem e salvem as chamadas no Google Drive.

Devido ao avanço da Covid-19, o Google liberou para todos os usuários, até o próximo dia 1º, a versão premium do programa: o Hangouts Meet. A empresa afirma que reforçou a infraestrutura para suportar uma demanda maior do serviço e garantir “acesso otimizado e confiável”.

Microsoft Teams

O compartilhamento de documentos é a vantagem prometida pelo aplicativo. Além de reunir entre 10 e 10 mil pessoas, os participantes podem acessar, compartilhar e editar arquivos de Word, PowerPoint e Excel em tempo real.

Disponível gratuitamente por seis meses desde o último dia 10 deste mês, os recursos da plataforma cresceram 37,5% em uma semana. Na Espanha, que enfrenta a epidemia desde o início de fevereiro, o número de usuários cresceu 10 vezes em sete dias.

Zoom

Um dos aplicativos mais populares no Brasil desde o início da quarentena, o Zoom já deteve a primeira posição entre os mais baixados nas últimas semanas. Com capacidade para até 100 pessoas por encontro virtual, o aplicativo permite com que as pessoas façam videochamadas e compartilhem suas telas em sessões de quarenta na versão gratuita.

De acordo com a Folha de S. Paulo, a ascensão mundial do sistema tem acontecido devido à adoção como suporte para aulas virtuais por inúmeras universidades norte-americanas. Uma anedota com o aplicativo tem surgido entre os estudantes: apesar de pagar preços diferentes, todos têm ido para a mesma instituição de ensino: a “Zoom University”.

Skype

Nada mais tradicional para chamadas de vídeo que o Skype. A plataforma, atualmente focada no público corporativo, tem espaço na memória afetiva de uma série de usuários da internet dos anos 2000. Os críticos da plataforma só aumentaram desde que o aplicativo foi adquirido pela Microsoft. Entre as reclamações, a má qualidade de chamada e o uso excessivo de bateria.

Um dos diferenciais do Skype é permitir que os usuários, através de valores pré-pagos, usem o serviço para fazer ligações para telefones nacionais e de fora do País. A ferramenta ainda tem recursos comuns também a outros sistemas, como o compartilhamento de tela e chamadas em alta definição.

WhatsApp

Quem nunca foi questionado se usava o WhatsApp quando deu o número de telefone para alguém? A ferramenta de mensagem instantânea mais popular do Brasil também tem suporte a chamadas de áudio ou vídeo para até quatro pessoas. Apesar de não ter o melhor desempenho quando comparada a outras ferramentas, o aplicativo pode ser uma alternativa mais acessível para se comunicar com um grupo pequeno de pessoas.