PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Máscaras não são proteção garantida contra coronavírus; saiba como e quando usá-las

A medida mais eficaz para se proteger contra o coronavírus, segundo os especialistas, continua sendo o isolamento

Júlia Duarte
13:46 | 23/03/2020

Uma das medidas que a população tem adotado contra o coronavírus é o uso de máscaras. Na maioria das farmácias, o material falta nos estoques. A proteção, entretanto, das máscaras convencionais não é garantida. Isso porque o vírus é menor que o diâmetro dos furos do dispositivo e não funciona em ambientes abertos.

O POVO conversou com especialistas para saber sobre quando e como usar o utensílio. O ideal é que seja utilizado apenas quando a pessoa vai passar muito tempo em ambientes fechados, como empresas ou em casos de emergência. Além disso, o uso é indicado também para pessoas que estejam doentes, para que não espalhem o vírus. É o que indica o presidente da Sociedade Cearense de Infectologia (SCI), Guilherme Henn. Segundo ele, é um desperdício de material usar em vias públicas ou mesmo dentro de casa.

Luisa Pinheiro, cirurgiã bucomaxilofacial, explica que existem diversos tipos de máscaras e elas apresentam níveis de proteção. A N95, que possui o selo do Inmetro e o tipo marcado na parte externa, é a que apresenta maior vedação, mas não são indicadas para a população em geral. Um vez que não há contato mais frequente e exposição a risco biológico como profissionais de saúde. Luísa indica que o uso deva ser feito em casos emergenciais, como quando se vai ao supermercado. "Ela vai te conferir um nível de proteção maior do que sair sem nada", complementa.

Riscos do uso incorreto

Entretanto, a colocação e o uso incorreto pode tornar o material um vilão no combate ao coronavírus. "A máscara pode ser um agente de contaminação, e não de proteção". A cirurgiã explica que ficar pegando enquanto a máscara está no rosto propicia o maior contato com o vírus vindo de outras pessoas ou mesmo do ar. O material convencional deve ser descartado após um único uso, já os tipos especiais podem ser usados durante 15 dias, se guardados corretamente. Deve ter atenção de não encostar a máscara, depois do uso, em bolsas ou superfícies da casa.

A corrida às lojas de construção e farmácias, na visão dos especialistas, não é o ideal porque o uso deve ser feito exclusivamente em momentos emergenciais e impactam nos profissionais da saúde. Mesmo com os hospitais demandando com fornecedores fixos, quem realmente precisa acaba ficando sem. "Os médicos que atendem em consultórios, por exemplo, vão ter que comprar, podem nem achar, porque as pessoas estão consumindo sem necessidade", ressalta Guilherme Henn.

Luisa e Guilherme reforçam que a melhor forma de proteção é o isolamento social. "As pessoas acham que só porque estão de máscara podem sair circulando pela cidade", comenta Luisa Pinheiro. Evitar roupas e sapatos que estiveram na rua também é indicado.

Como utilizar corretamente as máscaras:

Com as mãos limpas, pegar a máscara pela parte da amarração ou pela liga;

Colocar no rosto e encaixar bem para vedar nas laterais e em cima;

Não encostar na parte exterior da máscara;

Ao retirar, também retirar pela parte da amarração ou pela liga;

Não reutilizar máscaras convencionais, elas devem ser imediatamente descartadas no lixo, de preferencia do banheiro;

Lave as mãos novamente.