PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Bolsonaro minimiza pandemia de Covid-19 e diz que governadores "fogem de sua responsabilidade"

O presidente da República ainda acusou os governadores de serem "exterminadores de empregos" e de causarem uma crise "maior do que o próprio coronavírus"

Catalina Leite
09:16 | 23/03/2020
Jair Bolsonaro (Foto de Sergio LIMA / AFP) (Foto: Sergio LIMA / AFP)
Jair Bolsonaro (Foto de Sergio LIMA / AFP) (Foto: Sergio LIMA / AFP)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a minimizar a pandemia do novo coronavírus, desta vez, em entrevista à TV Record, veiculada no último domingo, 22, durante o programa Domingo Espetacular. Ele afirmou que os governadores são "exterminadores de empregos", referindo-se às medidas de quarentena para evitar a propagação do Sars-Cov-2.

"Você não me vê atacando nenhum governador, eles é que me atacam constantemente, fogem de sua responsabilidade e atacam o Governo Federal", reclama Bolsonaro. Os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e de São Paulo, João Doria (PSDB), acusaram o presidente de ser "irresponsável" em relação ao Covid-19. Para evitar os governadores que, segundo o presidente, "fantasiavam a crise", Jair Bolsonaro afirmou que tem mantido contato direto com os prefeitos.

No Ceará, o governador Camilo Santana anunciou medidas de isolamento social. Serviços não essenciais, como bares e shoppings, devem fechar as portas a fim de evitar aglomerações. Aqueles que desrespeitarem estão sujeitos a uma multa de R$ 5 mil reais.

Leia também | Camilo dá isenção de conta de água a famílias que pagam tarifa social e básica

O presidente também reforçou que o Covid-19  deve causar menos mortes que a H1N1, surto em 2009. "O número de pessoas que morreram de H1N1 foi mais de 800 pessoas. A previsão é não chegar aí a essa quantidade de óbitos no tocante ao coronavírus", disse.

Até a publicação desta matéria, no dia 23 de março, o Brasil tem 1.546 casos confirmados de Covid-19 e 25 mortes, segundo o Ministério da Saúde. No mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) contabiliza 294.110 casos confirmados e 12.944 mortes. Com informações do jornal O Globo.