PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Consumidores relatam dificuldade para fazer feira de casa por delivery

Com o surto de coronavírus, a entrega em domicílio se tornou uma alternativa muito utilizada pelas pessoas para evitar sair de casa

Gabriel Lopes
08:32 | 22/03/2020
FORTALEZA, CE, Brasil. 20.03.2020: Por conta da Pandemia do novo Coronavirus, os serviços de delivery alimenticio tem apresentado um aumento expressivo. (Fotos: Thais Mesquita/O POVO) (Foto: Thaís Mesquita)
FORTALEZA, CE, Brasil. 20.03.2020: Por conta da Pandemia do novo Coronavirus, os serviços de delivery alimenticio tem apresentado um aumento expressivo. (Fotos: Thais Mesquita/O POVO) (Foto: Thaís Mesquita)

Já são 84 casos confirmados de coronavírus no Ceará. Devido às restrições de aglomerações decretadas pelo governador Camilo Santana (PT) na última quinta-feira, 19, muitas pessoas estão optando pelo delivery para fazer a feira de casa, ou seja, compra de alimentos essenciais para o dia a dia em isolamento. Contudo, vários são os relatos de problemas para efetuar as compras à distância.


A maioria dos grandes supermercados locais disponibiliza o serviço de entrega em domicílio, que pode ser pedido nos sites específicos das empresas ou por meio de aplicativos, que também cumprem a função.


O publicitário Alexandre Vale, 42, fez o pedido de suas compras pelo site do supermercado Pão de Açúcar na tarde desta sexta-feira, 20. Contudo, o serviço não disponibilizava mais o delivery e ele teve que buscar as compras na loja com o horário indicado entre 17h e 18 horas. “Cheguei lá às 17h30min, mas ainda não tinham preparado minhas compras. Pediram para eu voltar pra casa que me ligariam. Somente às 20 horas me avisaram que as compras estavam prontas. Chegando lá, demoraram uns 15 minutos pra entregar. Em casa, para minha decepção, estavam faltando três produtos que pedi e paguei por eles”, relatou.


Alexandre ainda tentou entrar em contato com o supermercado, mas segundo ele, o telefone da loja não está funcionando, por conta da diminuição no número de funcionários, enquanto o aplicativo não possuía a função para que ele pudesse entrar em contato. Apesar do prejuízo, o publicitário disse que não irá atrás de meios legais e somente deixará de utilizar o serviço do supermercado.


Já a advogada Amanda Marques, 25, teve problemas com o horário de entrega do supermercado Carnaúba. O aplicativo de entregas dizia que o horário de funcionamento era das 9h às 19 horas, porém, às 18 horas já estava fechado. Dessa forma, ela teve que adiar em um dia suas compras.


O prazo de entrega dos produtos também vem sendo um empecilho. De acordo com a empresária Aline Paiva, 42, o supermercado Guará somente possuía agendamento para a próxima terça-feira, 24. Segundo a empresária, o supermercado São Luiz só permite o pedido se a pessoa tiver uma lista pronta no celular, pois só existe a opção de leitura do código de barras.


A reportagem tentou entrar em contato com os supermercados Pão de Açúcar, São Luiz e Guará, por meio dos números telefônicos cadastrados como contato, mas não obteve resposta. Por meio de assessoria de comunicação, o supermercado Carnaúba explicou que o encerramento de atividades de entrega antes do previsto decorreu-se por conta da alta demanda.


A Associação Cearense de Supermercados (Acesu) disse que somente na próxima segunda-feira, 23, terá um balanço do serviço de entrega dos supermercados no Estado, mas adiantou que “por ser um serviço novo para muitos supermercados e pela demanda excessiva, pode ter havido complicações”.