PUBLICIDADE
Shows & Espetáculos
NOTÍCIA

Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo encerra neste sábado

Evento ocorre na Praça do Polo Eusébio e atividades abertas ao público começam a partir das 19 horas. É a primeira vez que a convenção nacional acontece em uma cidade do Nordeste

17/01/2020 23:03:36
A palhaça Limonada veio direto do Rio de Janeiro para a 20ª Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo, no Eusébio. (FOTO: JÚLIO CAESAR / O POVO)
A palhaça Limonada veio direto do Rio de Janeiro para a 20ª Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo, no Eusébio. (FOTO: JÚLIO CAESAR / O POVO) (Foto: JÚLIO CAESAR)

A semana pela Praça do Polo Eusébio e Praça 23 de Junho foi de malabarismo, acrobacias, palhaçaria e, sobretudo, de reunião de linguagens. A 20ª Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo, que iniciou no último domingo, 12, encerra neste sábado, 18, com direito a shows, espetáculos e uma festa de encerramento. Toda a programação a partir das 19 horas é aberta ao público e ocorre na Praça do Polo Eusébio.

Essa é a primeira vez que a convenção brasileira acontece em uma cidade do Nordeste.

O malabarista Xavier Ruiz é da Venezuela e já participou de mais de 15 convenções de circo (FOTO: JÚLIO CAESAR / O POVO)
O malabarista Xavier Ruiz é da Venezuela e já participou de mais de 15 convenções de circo (FOTO: JÚLIO CAESAR / O POVO) (Foto: JÚLIO CAESAR)

Com mais de 400 participantes de dez países, entre Brasil, Venezuela, Itália, Colômbia e Argentina, a convenção também promove cursos, oficinas e a possibilidade do encontro dos artistas. Segundo o venezuelano malabarista Xavier Ruiz, o benefício vai do financeiro à possibilidade de união.

 

“A convenção é a arte que gera esse encontro. O custo de toda entrada, com direito à comida, é o preço de uma só oficina em outro lugar. É um espaço também para pessoas que estão começando no circo, e que abre um universo na cabeça”, explica ele, que já participou de mais de 15 convenções ao redor da América Latina.

Para além dos participantes fora do Brasil, a convenção também recebe pessoas de diversos espaços do Brasil e de todas as idades. A palhaça Maria Zoronga, de 59 anos, passou do professorado à palhaçaria de tanto ensinar matemática aos seus alunos com arte. Mineira, a palhaça integra o grupo “Clowns do IVERT”.

De cabeça aberta e participante ativo da convenção, Pitchula trabalha com teatro de rua, malabarismo e palhaçaria há 13 anos. O artista explica que a convenção é uma possibilidade de encontrar com novos olhares em relação à linguagem do circo e de “abrir a cabeça” para o teatro de rua, em que as manifestações de arte acontecem de forma espontânea.

“Quando saímos para a convenção, voltamos e queremos chegar na praça, ligar o som e fazer o circo da rua, sem ninguém chamar. Isso fez a gente crescer”, ressalta o palhaço, integrante do grupo Garajal e Coletivo Desconhecido.

Batuta, palhaço e organizador geral do evento, ressalta que o encontro é a proposta principal do evento e que o cenário cultura do Estado também se beneficia com a convenção no Ceará.

“É um evento de ninguém e de todo mundo ao mesmo tempo. Toda a programação não está só dentro da cena do circo, mas da cadeia cultural do Ceará, e tudo isso dialoga”, ressalta o artista, palhaço há 15 anos no Estado.

Clique na imagem para abrir a galeria

A convenção teve em sua programação diversas atrações cearenses, como o grupo de palhaçaria 10 Graças, a turma de dança do Coco do Iguape e a Carroça de Mamulengos, trupe familiar de circo do Juazeiro do Norte.

Serviço:

Espetáculos da 20ª Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo

Quando: de 12 a 18 de janeiro de 2020, a partir das 19 horas

Onde: Escola Fundamental Neusa de Freitas Sá (rua Irmã Ambrosina, 266 - Centro - Eusébio)

Outras informações: (85) 98818 7147, pelo Instagram @cbmcirco

Gratuito

Sábado (18/1)

19h - Varietè

21h - Noite de Gala

22h - Show O Cheiro do Queijo

22h30min - Festa de Encerramento