PUBLICIDADE
Shows e Espetáculos
ARTES CÊNICAS

Grupo Comedores de Abacaxi estreia "Quatro Passos" no Dragão do Mar

Cia Comedores de Abacaxi S/A estreia novo espetáculo no Teatro do Dragão do Mar. Texto original tem como inspiração Albert Camus e Samuel Beckett

15:32 | 03/05/2018
Foto: Divulgação
Amor, morte, sexo e arte. Quatro assuntos tão comuns a todos, mas, ao mesmo tempo, tão próprios de quem mergulha neles. São esses os pilares que solidificam o espetáculo Quatro Passos, conforme explica o dramaturgo Aristides de Oliveira. “A peça tem um existencialismo muito presente, traz questões fundamentais da condição humana”, sintetiza o também diretor da obra. A montagem da Cia Comedores de Abacaxi S/A estreia no próximo dia 5 e segue em cartaz aos sábados e domingos de maio no Teatro Dragão do Mar, sempre às 20 horas.
 
A sinopse é a seguinte: num lugar hipotético semelhante a uma praça abandonada, um homem encontra uma mulher. Ele narra sentir saudade, convida ela para voltar à casa dos dois. A mulher, porém, não o reconhece. “O que parecia um encontro casual entre marido e mulher nos revela um labirinto de sonhos, desejos e contradições”, detalha Aristides, explicando a repetição da situação nascida daquele encontro.
 
A história continua com a tal mulher quase se deixando seduzir, mas um segundo homem aparece e repete todo o processo com o primeiro homem. Fala da saudade, pede o retorno do seu amado e, assim, os conflitos se multiplicam até culminarem com a chegada de outra mulher para repetir o processo de tentativa de regresso do segundo homem para uma suposta casa dos dois. Ninguém se encontra de fato.
 
“A ideia de procura é muito presente e, como na vida, a gente está sempre procurando por algo. Estamos sempre querendo se ancorar em algo e, como nem sempre a gente consegue, acabamos perdendo o chão, ficando em suspensão”, reflete a atriz Nádia Fabrício. Ela compõe o elenco ao lado dos atores João Fontenele, Tayana Tavares e Marcos Paulo, todos convidados pelo grupo para compor o espetáculo.
 
Diante de assuntos tão complexos como amor e morte, aponta Nádia, estes quatro seres errantes se veem desamparados. “Eles não sabem exatamente onde estão ou o que sentem. Tem sempre uma dúvida pairando. A partir desse abandono, esses corpos vão se intensificando”, aponta.
 
A atriz destaca ser a encenação proposta por Aristides um elemento potencializador dessa falta de chão dos personagens. “Está sendo uma experiência muito rica. Estamos em cena sem nenhum objeto ou elemento cênico É a experiência de ator, temos que estar ali presentes, encorpados naquele estado sem ajuda de nada”, aponta.
 
Aristides explica as referências norteadoras do espetáculo, destacando ter muito do autor francês Albert Camus (1913 – 1960). “O grupo começou, em 2014, trabalhando com Calígula, um texto de Camus, e esse existencialismo proposto por ele foi ampliando em mim. Quatro passos nasce tendo essa relação forte com o existencialismo”, afirma o dramaturgo. A peça flerta também com a obra do dramaturgo irlandês Samuel Beckett (1906 – 1989), famoso por obras como Esperando Godot, e com o Teatro do Absurdo.
 
“Temos também essa fragmentação do Beckett e o trabalho se completa muito com o público”, antecipa Aristides. “Tem uma estrutura dramatúrgica na encenação, mas há espaço para o publico digerir o que foi dito. Quem vai nos dizer é o espectador”, pondera o artista. Nádia reforça o convite: “O espetáculo não fecha por si só, a gente deixa a coisa seguir para o público”, completa.
Serviço
Quatro Passos
Quando: sábados e domingos, às 20 horas
Onde: Teatro Dragão do Mar (rua Dragão do Mar, 81 - Praia de Iracema)
Quanto: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia)
Telefone: 3488 8600

RENATO ABê