PUBLICIDADE
Notícias

A importância do jornalismo em tempos de pós-verdade é tema de palesta

O assunto será debatido por jornalistas durante o evento, junto com lançamento de livro sobre o mesmo tema

09:19 | 20/06/2018
NULL
NULL

[FOTO1] 

O Festival Vida&Arte, que se inicia amanhã com programação múltipla de arte e cultura, reservou um espaço para discussões sobre o fazer jornalístico. Um dos principais temas a serem debatidos é o papel do jornalismo nos tempos em que as chamadas fake news, informações falsas divulgadas com o intuito de prejudicar ou favorecer alguém, ganham força com a ascensão das redes sociais.

 

A escolha do tema não foi feita ao acaso. O jornalista Plínio Bortolotti, diretor institucional do O POVO e um dos curadores do evento, afirma que este é um assunto atual que não pode ser deixado de lado na discussão sobre o jornalismo. “As notícias falsas não são uma novidade na sociedade, mas isso se intensificou barbaramente com a internet, principalmente nas mídias sociais, o que torna qualquer pessoa sujeita às consequências dela”, destaca.

 

Quem mediará o debate será o jornalista Érico Firmo, colunista de política e editor-executivo do O POVO. Ele reitera que as tais fake news não são coisa nova, com o diferencial de que hoje há mais potencialidade de elas se espalharem. “Hoje em dia, qualquer pessoa com acesso a smartphone consegue espalhar um boato que pode correr o mundo inteiro”.

 

Essa divulgação pode acontecer por desinformação, “inocência” ou por escolha. “Há quem se deixe enganar e quem quer ser enganado, que acredita na mentira porque ela é boa para ela ou para seu candidato”, exemplifica Érico.

 

Plínio, por sua vez, ressalta a má fé das fake news. Para ele, elas não são simples informações falsas, que podem ser noticiadas por jornais por um erro de apuração, mas “notícias fraudulentas” criadas para enganar alguém, seja por ideologia ou por dinheiro.

 

Érico Firmo será o mediador do debate. Participam também João Alegria, jornalista do Canal Futura, e o colombiano Ricardo Corredor, diretor-executivo da Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Iberoamericano, e Bortolotti. Além da discussão, haverá o lançamento do livro Jornalismo em tempos de pós-verdade, da Edições Demócrito Rocha.

O termo “pós-verdade” refere-se, de acordo com Érico, a estes tempos em que “a fronteira entre o que é verdadeiro e o que não é se tornou difusa nesta época de redes sociais a ponto que, em algum momento, as pessoas não sabem mais discernir as versões e torna-se difícil saber o que aconteceu”.

 

Para ele, isso coloca o fazer jornalístico no centro da discussão. “O jornalismo pode ser um instrumento para se contrapor a isso, combater essa situação; ou pode ser um instrumento para amplificar o problema da forma como ele é feito”, diz.

 

SERVIÇO

 

Festival Vida&Arte

Quando: 21 a 24 de junho

Onde: Centro de Eventos do Ceará (Avenida Washington Soares, 999)

Quanto: R$20 (inteira), R$10 (meia) — válido para toda a programação do dia no evento (o acesso às atrações está sujeito à lotação dos espaços onde elas se apresentarão)

Ingressos à venda no site: www.festivalvidaearte.com.br, na portaria do Jornal O POVO (Av. Aguanambi, 282 - José Bonifácio) e nas lojas JEF (shoppings RioMar e Iguatemi)

Programação completa: www.festivalvidaearte.com.br

 

 

Debate e lançamento de livro: Jornalismo em tempos de pós-verdade

Quando: sábado, 23

Horário: 20h30min

Onde: Auditório Rosiane Limaverde, Centro de Eventos

 

TAGS