PUBLICIDADE
Notícias

Paracuru Cia. de Dança apresentará três espetáculos no Festival Vida&Arte

A Paracuru Cia. de Dança, do bailarino Flávio Sampaio, é uma das atrações que vão se apresentar durante o evento. A companhia traz três espetáculos para a programação

10:26 | 28/05/2018
NULL
NULL
[FOTO1]

Criada e dirigida pelo bailarino e coreógrafo cearense Flávio Sampaio, 64, a Paracuru Cia. de Dança será uma das atrações do Festival Vida&Arte, que acontecerá entre os dias 21 a 24 de junho, no Centro de Eventos do Ceará (Edson Queiroz). Três espetáculos de seu repertório – de um total de dez - farão parte da extensa programação do evento, todos sendo apresentados em dias distintos: Cinco Canções para um Coração Vagabundo (dia 22, às 17 horas), Balé J.A.N. (dia 23, às 11h30min) e Parabach (dia 23, às 12h30min).


Cinco Canções para um Coração Vagabundo, de 2017, é a mais recente montagem da companhia, sendo resultado de um exercício coreográfico apresentado durante a nona edição do Festival de Dança do Litoral Oeste. “É uma criação coletiva e uma das primeiras vezes que a própria companhia coreografou seu espetáculo porque nosso próximo passo é ser autossuficiente coreograficamente. Nesse espetáculo, a gente pegou cinco músicas (de Caetano Veloso e Chico Buarque) e viu o que liga uma na outra. Fala desse coração vagabundo, que se apaixona loucamente e, no outro dia, já procura outras descobertas. O que chamam de amor líquido”, explica Flávio.


As relações de amizade entre três garotos que crescem juntos em torno de um mesmo ideal – no caso, a dança - é o ponto de partida para Balé J.A.N., criação de Ivaldo Mendonça e dirigido por Flávio Sampaio. “São três meninos que têm o sonho de dançarem juntos e continuar naquele sonho”, resume o coreógrafo. O título do espetáculo, de acordo com Flávio, vai alterando à medida em que há o revezamento dos bailarinos. 

“O título é a inicial do nome e, sempre que mudamos o elenco, mudamos também o nome”, elucida. No caso de Parabach (2013), a coreografia é do bailarino Cláudio Bernardo.

“É o maior espetáculo da companhia. Foi realizado para ser apresentado na Bienal Internacional de Dança do Ceará e foi coreografado pelo Cláudio, bailarino bastante conhecido e que mora há muito tempo na Bélgica. O espetáculo foi feito em parceria com o Governo da Bélgica, através de um convênio, e diz muito da gente porque conta um pouco da história desse grupo. No início, os jovens me procuraram para dançar forró e a música que a gente ouve é de Johann Sebastian Bach. É muito bacana e é impressionante como o forró pode ser uma dança universal. É o forró dançado como música erudita. Termina com uma sofisticação”, enfatizou.


A companhia, fundada no ano 2000 e que também desdobra-se em escola, foca seu trabalho no balé clássico. Porém, outras atividades movimentam a escola, que recebe fomento da Secretaria da Cultura do Estado (Secult). “A gente experimenta porque somos uma companhia de dança contemporânea. A Paracuru teve início quando um grupo de dez jovens da cidade me procurou porque ele queriam dançar. Hoje, já estamos na terceira geração de bailarinos. Algumas pessoas foram parando de dançar, mas hoje temos oito bailarinos”, explicou o coreógrafo, que demarca a trajetória da Escola de Dança de Paracuru a partir do espetáculo intitulado Folgança (2004).


Flávio Sampaio, por sua vez, integrou o corpo de baile de importantes companhias pelo País, a exemplo do Balé do Teatro Guaíra (PR) e do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Com experiências como professor na Escola de Teatro Bolshoi no Brasil, o cearense também dirigiu o hoje extinto Colégio de Dança do Ceará, sendo autor do livro Ballet Essencial (Ed. Sprint, 1996). Prestes a celebrar os 20 anos da Paracuru Cia.

de Dança, Flávio tem planos para logo mais. “A gente pensa em fazer, na verdade, um livro com as nossas memórias. Ainda temos tempo, dois anos para pensar, mas acho que seria isso: um livro com a nossa história”, conclui.  

Serviço 

Paracuru Cia. de Dança no Festival V&A


Quando: Cinco Canções para um Coração Vagabundo – dia 22/6, às 17 horas


Balé J.A.N. – dia 23/6, às 11h30min


Parabach – dia 23/6, às 12h30min


Onde: Teatro J. Cabral (Centro de Eventos do Ceará - av. Washington Soares, 999 - Edson Queiroz)


Ingressos: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia) - válido para toda a programação do dia no evento (o acesso às atrações está sujeito à lotação dos espaços onde elas se apresentarão)


Vendas: festivalvidaearte.com.br

Sede do Grupo de Comunicação O POVO (avenida Aguanambi, 282 - José Bonifácio)

Lojas JEFF (RioMar Fortaleza e Iguatami Fortaleza)

Leia mais 

www.festivalvidaearte.com.br

TAGS