Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

"My Universe": Coldplay anuncia single em parceria com BTS

A banda de rock britânica Coldplay e o grupo de k-pop BTS lançarão o single "My Universe" na próxima sexta-feira, 24 de setembro
15:40 | Set. 13, 2021
Autor Clara Menezes
Foto do autor
Clara Menezes Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Coldplay anunciou um single em parceria com o grupo de k-pop BTS. A canção, denominada “My Universe”, estará disponível nas plataformas de streaming na próxima sexta-feira, 24 de setembro.

A edição limitada do CD esgotou em menos de dez minutos no site da banda de rock britânica. O disco contará com duas faixas, com a música original e sua versão instrumental.

Chris Martin, vocalista do grupo do Reino Unido, foi à Coreia do Sul para gravar a obra. Em entrevista para o “The Kelly Clarkson Show”, comentou: “nós não acreditamos em quaisquer barreiras ou separação. Então ‘My Universe’ é sobre ser dito a alguma pessoa que ela não pode amar uma certa pessoa, ou não pode estar com essa raça, ou que não pode ser gay - o que quer que seja”.

“Nós pensamos que seria bom cantar com o BTS, porque talvez não devêssemos estar juntos. Acabou sendo uma das coisas mais divertidas de todas. Fui para a Coreia para estar com eles. Foi incrível”, disse.

Chris Martin e BTS já tinham conversado em um conteúdo especial para o YouTube. O cantor britânico entrevistou o grupo de k-pop sobre seu impacto na música e sua influência durante a pandemia.

Podcast Vida&Arte

O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Confira o podcast clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Companhia lança curso que une atuação teatral com terapias

Curso
12:46 | Set. 13, 2021
Autor Miguel Araujo
Foto do autor
Miguel Araujo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Biodança, reiki, constelação familiar e massoterapia: essas são algumas das práticas que estarão disponíveis a partir de outubro nas aulas do curso “Teatro Terapia”. Iniciativa da Teatro Acontece - Escola Terapêutica de Teatro, o curso está com inscrições abertas e busca trazer bem-estar e saúde mental aos seus participantes a partir da união entre a arte da atuação e terapias integrativas. As vagas são limitadas.

Com duração de seis meses e ofertado presencialmente, o curso é endereçado ao público geral, desde que os interessados tenham mais de 15 anos. As atividades serão iniciadas em outubro, com divisão em duas turmas. Não é necessário ter formação na área; O requisito é “estar em busca do autoconhecimento”, como afirma Almeida Jr, diretor da companhia Teatro Acontece.

O curso será aplicado em um novo momento para a companhia: antes “Teatro Acontece - Escola Livre de Teatro”, o espaço se tornou recentemente “Teatro Acontece - Escola Terapêutica de Teatro”. A mudança, segundo o diretor Almeida Jr, acompanhou o processo de “reviravolta” causado pela pandemia, que, em sua visão, trouxe à tona “a necessidade das pessoas voltarem a olhar para si” e de desenvolverem o autocuidado.

Para Almeida Jr, a pandemia atingiu negativamente a todos, e várias pessoas passaram a ter depressão, “medo social” e “falta de perspectiva de vida futura”. Nesse sentido, surge o Teatro Terapia para ajudá-las a “se encontrarem”. “Nós já conseguimos transformar muitas vidas só por meio do teatro aqui na escola. Imagina, então, juntar essa força do teatro com a força das terapias integrativas, como isso reverberaria na vida dessas pessoas?”, comenta o diretor.

Ele acrescenta: “O intuito maior do curso é auxiliar os participantes a se encontrarem enquanto seres humanos, a se descobrirem e a olharem mais para si do que para fora”. Especialista em constelação familiar, mestre reiki e também com experiência como facilitador de biodança, Almeida Jr será auxiliado também por outros profissionais para trabalhar as terapias integrativas. O “leque de opções” do curso reforçará a “ajuda nas curas mentais, corporais e espirituais” de seus participantes.

Com o retorno gradual às atividades presenciais, Almeida Jr comenta sobre “a necessidade urgente de sentir a energia das pessoas de perto”. Em sua visão, o curso é ideal àqueles que sentem que precisam melhorar enquanto seres humanos e àqueles “que sentem dores dentro de si que não conseguem curar”. Os processos vividos no Teatro Terapia também servirão para a pesquisa de mestrado do diretor, que deseja “levar essas experiências para a academia”.

Práticas Integrativas e Complementares

O Teatro Terapia inclui em seu percurso Práticas Integrativas e Complementares (Pics) disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. Essas ações funcionam como tratamentos que usam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais. Com isso, busca-se prevenir diversas doenças, entre elas a depressão. Vale ressaltar que as Pics não substituem o tratamento tradicional. Elas agem, portanto, como um complemento.

Entre as Pics disponíveis no curso estão biodança, constelação familiar e reiki. De acordo com informações do Ministério da Saúde, a biodança promove vivências integradoras por meio da música, do canto, da dança e de atividades em grupo, buscando, assim, restabelecer “o equilíbrio afetivo e a renovação orgânica”.

Na constelação familiar, busca-se reconhecer a origem dos problemas trazidos pelo participante, assim como o que “está encoberto nas relações familiares” para encontrar “a ordem, o pertencimento e o equilíbrio”. O reiki é uma prática terapêutica que usa a “imposição das mãos para canalização da energia vital” com o objetivo de promover o equilíbrio energético. Além das ações citadas acima, haverá, no curso, as modalidades de massoterapia, thetahealing, uso de ervas medicinais e outros.


Curso Teatro Terapia

Quando: Curso promovido a partir de outubro; Duração de seis meses
Inscrições: linktr.ee/ciateatralacontece
Onde: Teatro Acontece - Escola Terapêutica de Teatro (Rua João Tomé, 640 - Monte Castelo)
Mais info: @ciateatralacontece no Instagram

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Fotógrafo do O POVO participa de Festival Internacional de Fotografia Teatral

FOTOGRAFIA
10:57 | Set. 13, 2021
Autor Ana Flávia Marques
Foto do autor
Ana Flávia Marques Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Fábio Lima, repórter fotográfico do O POVO, foi selecionado para o Festival Internacional de Fotografia Teatral Interlude. O evento tem como objetivo a pesquisa e visualização da ação teatral em palcos de teatros de todo o mundo. Fábio foi selecionado com a foto da peça "Os Sertões", de Zé Celso Martinez, em  Quixeramobim.

A exposição reúne fotografias de espetáculos de rua e palcos acadêmicos, teatros de fantoches, teatros para crianças e estúdios experimentais. Os visitantes poderão conferir expressões artísticas de 14 países: Ucrânia, México, EUA, Finlândia, Polônia, Irã, Escócia, Filipinas, Brasil, República Tcheca, Croácia, Sérvia, Bósnia e Herzegovina.

"Quem viu a trupe de Sertões invadir em folia a praça de Quixeramobim e lá realizar um casório e depois sumir na Ponte metálica sobre o rio, não imaginava o quão mais intenso seriam os próximos dias naquela pacata cidade para quem se aventurasse a adentrar a estrutura metálica de andaimes coberto por lona de vários andares erguida em um descampado na terra natal de Conselheiro. Ali, há quinze anos, acontecia a encenação da história fatídica de Canudos. Foram 4 noites de 5 h de espetáculo. O ar de mistério rodeava o lugar. Pessoas da cidade se aglomeravam nas tábuas feitas de madeira enfileirando uma arquibancada que margeavam o longo palco em dois lados e que atravessava a estrutura e se misturava com todo ambiente, inclusive quem estava ali assistindo de pertinho vez ou outra era convidado a participar da peça. Foram dias intensos de emoções arrancadas da pele", relembra Fábio o contexto por trás da foto.

O festival ainda inclui encontros de arte, oficinas de fotografia, excursões e outros eventos. A galeria estará disponível no site do "Interlude" até o dia 17 de setembro.

Confira a lista dos participantes:

Sylwia Penc - Cracóvia, Polônia

Vida Mousavian - Teerã, Irã

Marcin Maziej - Wroclaw, Polônia

Mary Crnkovich - Pilas, Zagreb, Croácia

Holger Mohaupt - North Berwick, Escócia

Ana Batrievi - Belgrad, Sérvia

Jovan Vidakovich - Trebinje, Bósnia e Herzegovina

Juan Cevallos - Praga, República Tcheca

Sorcha Augustine - Sarasota, FL, Estados Unidos

Morteza Ashrafi - Teerã, Irã

Fabio Lima -  Fortaleza, Brasil

Valery Leshchynsky - Kiev, Ucrânia

Ivan Kankin - Zhytomyr, Ucrânia

Tetyana Danilova - Lviv, Ucrânia

Sashko Balabai - Lviv, Ucrânia

Darina Balabai - Lviv, Ucrânia

Sergiy Selezniov - Dnipro, Ucrânia

Oleksandr Maiorov - Kropyvnytskij, Ucrânia

Oleksiy Potyanok e Yana Psiurska - Rivne, Ucrânia

Yuriy Kostyuk - Lviv, Ucrânia

Alfredo Gonzalez - México

Yuriy Yusupov - Lviv, Ucrânia

Olli Berg - Finlândia

Ivan Petrov - São Petersburgo, Rússia

Kevin Icabales - Manila, Pilippines

Sobre Fábio Lima

Nascido em São Paulo no ano de 1971, Fábio iniciou sua carreira no fotojornalismo em 1994. Veio para Fortaleza em 1997, onde começou a trabalhar para o Jornal O POVO. Ao longo da carreira, cobriu eventos como o Festival de Cannes de filmes publicitários, as Olimpíadas de Sidney e, em 2014, a Copa do Mundo Fifa de futebol. Em 2020, venceu em primeiro lugar o Prêmio MPCE de Jornalismo na categoria de Fotojornalismo. No mesmo ano, também ficou em primeiro lugar no Prêmio Gandhi de Comunicação, também na categoria de Fotojornalismo.

Festival Internacional de Fotografia Teatral "Interlude"

Quando: até o dia 17 de setembro

Onde: balabaiart.com/Interlude

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tela Quente hoje: o que vai passar segunda, 13 de setembro (13/09)

tv globo
10:30 | Set. 13, 2021
Autor Ana Flávia Marques
Foto do autor
Ana Flávia Marques Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um filme vai passar na Tela Quente de hoje, segunda-feira, 6 de setembro (06/09), às 23h15min (horário de Brasília), na TV Globo. Dirigida por John Madden, “Tempestade: Planeta Em Fúria” é um longa-metragem de drama.

A existência da humanidade está em risco com o aumento de eventos climáticos. Para contornar a situação, é criada uma extensa rede de satélites ao redor do planeta, com o objetivo de controlar o clima. Apelidado de "dutch boy", este sistema construído a partir da cooperação de 17 países é coordenado pelo engenheiro Jake Lawson.

Após anos de dedicação, ele é afastado da função devido a questões políticas e, em seu lugar, é nomeado seu irmão caçula, Max. Três anos depois, quando a coordenação do "dutch boy" está prestes a ser transferida dos Estados Unidos para a ONU, falhas pontuais provocam uma forte nevasca em pleno deserto no Afeganistão e altíssimas temperaturas em Hong Kong, que matam centenas de pessoas.

Jake é, então, convocado para descobrir o que está acontecendo e, enviado para a estação internacional, desvenda uma imensa conspiração, ao mesmo tempo que precisa deixar para trás os atritos existentes com Max.

Lançado em 2017, o filme conta com Gerard Butler, Jim Sturgess, Abbie Cornish e Alexandra Maria Lara no elenco.

Veja o trailer

Tempestade: Planeta Em Fúria

Quando: hoje, segunda-feira, 13 de setembro (13/09), às 23h15min

Onde: no canal aberto da Globo

Podcast Vida&Arte

O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Aos 77, Zezé Motta é destaque publicitário: "Estou bombando depois de idosa"

CARREIRA
10:09 | Set. 13, 2021
Autor Ana Flávia Marques
Foto do autor
Ana Flávia Marques Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Corrigida às 12h35 de 13/09/2021

Zezé Motta celebra sua carreira consolidada como atriz e cantora. Aos 77 anos, a artista tem uma agenda cheia e se prepara para novos lançamentos nos próximos meses. Do ano passado até os dias atuais, Zezé estrelou mais de 30 campanhas publicitárias e se tornou uma garota-propaganda disputada, quebrando os preconceitos sobre a terceira idade.

Seja na TV, streaming ou cinema, a artista tem diversos lançamentos planejados. Ela estreia na série inédita "Fim", além de também integrar o elenco da próxima temporada de "Arcanjo Renegado". Antes disso, ela será vista como apresentadora no especial "Falas da Vida", exibido na TV Globo no dia 1º de outubro, Dia Internacional dos Direitos da Pessoa Idosa. "Faço o papel de intermediadora entre as cinco idosas convidadas. Foi bem legal, uma troca incrível. Elas são todas grandes mulheres. O que me confirmou que ser idoso hoje em dia é diferente", explica, em entrevista ao jornal Extra, sobre o programa.

Para a atriz, o mundo atual é mais favorável às pessoas idosas. "O velho era tratado como um trapo quando eu era pequena. Hoje, se você envelhecer com saúde, o que é fundamental em qualquer idade, você não se sente velho, não fica deprimido. E pode seguir produzindo", acredita. "Antes tinha receio por causa dessa imagem que fazia sobre a velhice. Imaginava que daria trabalho para os filhos, que teria problemas de saúde e ficaria dependente. E também temia não ter mais espaço no mercado de trabalho. Mas nada disso aconteceu comigo. Hoje eu não paro!".

Zezé já está imunizada com a vacina contra a Covid-19, mas garante que ainda toma todas as precauções. "Só saio da minha casa para trabalhar, já tomei as duas doses da vacina. No início, teve a fase da calmaria. Aproveitei para ler todos os livros que estavam na fila. Depois, voltei a trabalhar. Apresentei o show 'Coração vagabundo — Zezé Motta canta Caetano', que é intimista. Fiz duas lives. E quero voltar com 'O samba mandou me chamar', com banda. Parei por causa da pandemia", comenta.

A artista tem celebrado seu sucesso no mercado publicitário, acumulando trabalhos para marcas como Natura, Avon, Nívea e Lojas Americanas. "Foi o que me salvou nesta temporada. Quando era jovem, só me lembro de ter feito uma propaganda de cerveja e outra, de café, com a Ruth de Souza (1921-2019). Estou bombando depois de idosa. Fiz as capas da 'Marie Claire', da 'Claudia' e da 'Raça'", diz. Apesar disso, a atriz revela que tem "um pouco de preguiça" para as fotos. "Na vida real não passo pó nem batom. Estou sempre de cara lavada. Mas com o cabelo não posso esculachar porque as pessoas me cobram", explica.

A atriz também fala sobre o racismo que enfrentou ao longo da carreira. "Teve uma vez em que fui visitar o André Valle (1945-2008) e o porteiro me apontou a porta dos fundos. Já fui fotografada para um outdoor que foi recusado porque os clientes de classe média não iriam comprar um produto anunciado por uma negra. Morei três anos com um rapaz e a família dele não me aceitava. Isso interferiu muito na nossa relação quando ele quis casar e ter filhos comigo", comenta.

Em meio ao preconceito, a artista travou uma batalha para fortalecer sua autoestima. "A beleza no Brasil era importada. Para ser bonito, tinha que ser loura e ter olhos claros. As pessoas me diziam que o negro era feio e eu acreditava. Ao ser anunciada como a Xica, abri uma revista e li: 'Atriz feia, mas exuberante é escolhida para o filme'. E tinha uma foto minha belíssima (risos). Eu só fui me convencer de que não era feia quando fui aos Estados Unidos, em 1977, e olhei para aqueles homens e aquelas mulheres altivos de lá", diz.

No Globoplay, Zezé está no filme "Doutor Gama", além de outras duas produções para o cinema: “Do outro lado da ponte” e “As bisnetas”. A atriz e cantora segue firme em sua carreira e motivada a continuar ocupando seu espaço, independente da idade.

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

K-pop: B.I, ex-membro do Ikon, é sentenciado após envolvimento com drogas

Polêmica
18:16 | Set. 10, 2021
Autor Clara Menezes
Foto do autor
Clara Menezes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O rapper e compositor B.I, ex-integrante do grupo sul-coreano Ikon, foi setenciado nesta sexta-feira, 10, após envolvimento de drogas. A justiça da Coreia do Sul demandou que o artista cumpra quatro anos de condicional, 80 horas de serviço comunitário, 40 horas de curso anti-drogas e multa de 1,5 milhão de won (aproximadamente R$ 6.745).

A situação começou após o portal de notícias Dispatch vazar conversas em que ele tentava comprar maconha e LSD em 2016. Posteriormente, também houve alegações de que o rapper teria utilizado essas drogas. Ele admitiu algumas acusações, mas, em maio deste ano, seu teste toxicológico deu negativo para o uso das substâncias.

“O que ele fez não pode ser visto como um crime que ocorreu por simples curiosidade. E uma celebridade que usa drogas tem grande impacto na sociedade por enfraquecer a consciência dos adolescentes sobre drogas”, afirmou a corte. As informações foram divulgados pelo Soompi, site especializado em cultura sul-coreana.

B.I fazia parte do grupo de k-pop Ikon, ao lado dos membros Jay, Song, Bobby, DK, Ju-ne e Chan. Ele saiu em 2019 por causa das polêmicas envolvendo drogas.

A banda tem várias músicas famosas com milhões de visualizações, como “Love Scenario”, “Killing Me”, “Rhytm Ta” e “Bling Bling”.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags