PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Colorindo traços. Livro de colorir feito em família retrata pessoas negras ocupando as mais diversas profissões

"Para Colorir o Futuro", criado por Masé e João Pedro Sant’Anna vem para mostrar que as crianças negras podem ser o que quiserem

21:24 | 30/10/2020
Mãe e filho, Masé Sant’Anna e João Pedro Sant’Anna de Lima, idealizadora e ilustrador da obra
Mãe e filho, Masé Sant’Anna e João Pedro Sant’Anna de Lima, idealizadora e ilustrador da obra "Para Colorir o Futuro" (Foto: Divulgação)

O Brasil é um país preto. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 54% da população brasileira é negra. Porém é mal representada. Quem nunca ouviu a expressão lápis cor de pele para simbolizar o tom de pessoas brancas? Ou ainda, quantos personagens infantis (ou não) fogem do padrão eurocêntrico? Os brinquedos também não ficam de fora e de acordo com a organização Avante, as bonecas negras representam apenas 6% do total de modelos feitos no Brasil.

Sob esse contexto, surge o compilado de ilustrações para pintar “Para Colorir o Futuro”. Tudo começou quando Masé Sant’Anna, cantora e editora, 54 anos, e seu filho, João Pedro, designer gráfico, 19, viram o lançamento de uma linha de lápis que contemplava diversos tons de pele. Porém, quando foram comprá-los, passaram por diversas livrarias e quase não encontraram desenhos que retratam a diversidade humana em livros de colorir.

Em seguida, Masé teve a ideia de criar uma obra em que as crianças - e adultos também - pudessem se reconhecer a partir de seus tons de pele, traços e múltiplos cabelos e em que cada personagem representasse uma profissão. “Queremos mostrar que nós podemos, por mais que muitos digam o contrário. Nós somos mais do que capazes, podemos decidir o nosso futuro, podemos colori-lo” expressa João Pedro.

“Para Colorir o Futuro” é uma construção familiar e de editoração independente; a mãe foi a idealizadora do projeto, o pai, Robson Lima, fez a diagramação e editoração e um dos filhos, o João Pedro, o preencheu. As 42 ilustrações, feitas por João Pedro, contam com cabelos crespos, narizes e lábios grossos e muita diversidade ocupando espaços como professor, advogado, astronauta, bailarina, chef de cozinha e outros. 21 delas retratam mulheres e a outra metade homens, porém Masé conta que, apesar de não ter sido intencional, muitas figuras deixam o gênero em aberto. Além disso, todos os personagens estão de frente, como se quem os visse se olhasse no espelho.

A cantora relata que sua principal inspiração foi o questionamento da jornalista Flávia Oliveira gerado a partir das crianças presentes nas manifestações devido ao assassinato do americano George Floyd. “É claro que elas podem ir, mas lugar de criança é brincando. Desde muito cedo a infância das crianças negras é tirada delas por um motivo ou outro e agora elas estão em protestos? Esse livro para mim representa uma forma lúdica de lutar. Depois pensei que colorir é preencher espaços, ou seja ocupar” partilha ela.

Para os envolvidos, o intuito é que a obra vá o mais longe possível e revelam se sensibilizar muito com o que tem se deparado. “Já vi mãe comprando para os filhos e depois querendo um para ela também, um senhor de 80 anos que chorou ao ver outro nutricionista negro, um amigo do meu filho disse que a vida inteira havia desenhado a mãe com cabelo liso porque não tinha visto desenhos de mulheres com cachos.” reflete Masé. A repercussão alcançou profissionais da pedagogia e da psicologia que a procuraram com o intuito de levar a obra para consultórios e salas de aula.

Os primeiros pequenos que tiveram contato com a obra foram moradores do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, local simbólico por representar a origem da vereadora Marielle Franco. A idealizadora ressalta que é importante que brancos interajam com obras assim para reconhecer as diferenças e contemplá-las, difundindo isso como o normal desde pequenos. “Mas por que só têm crianças negras? Porque as crianças negras não tem esse livro para elas. As brancas tem, todos” desabafa.

É possível adquirir “Para Colorir o Futuro” pelo preço de R$30,00 mais taxas de envio entrando em contato com a família pelo e-mail [email protected]

Serviço:
Preço: R$30,00 + taxas de entrega
Editora: independente
Onde: pedidos pelo e-mail [email protected]