PUBLICIDADE
Noticia

Teatro da Praia reabre para o público neste fim de semana com nova temporada de "Tita & Nic"

Dirigida por Carri Costa, comédia "Tita & Nic" será atração na reabertura do Teatro da Praia. Apresentações acontecem sábado, 24, e domingo, 25, a partir das 20 horas. Ingressos estão sendo vendidos pelo whatsapp

10:46 | 21/10/2020
O ator, comediante e dramaturgo Carri Costa, proprietário do Teatro da Praia, fala sobre como o bom humor moleque, genuinamente cearense, não está desconectado da realidade (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)
O ator, comediante e dramaturgo Carri Costa, proprietário do Teatro da Praia, fala sobre como o bom humor moleque, genuinamente cearense, não está desconectado da realidade (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)

“Ele resiste, ele é muito cearense, é muito teimoso” — assim o Teatro da Praia é definido por seu proprietário, o ator e dramaturgo Carri Costa. Após a ameaça de fechar as portas em janeiro deste ano e um longo período de isolamento social devido à pandemia, os palcos conterrâneos - testemunhos da expressão popular de fruição das artes - recebem o espetáculo “Tita & Nic”. É neste sábado, 24, e domingo, 25, a partir das 20 horas, com ingressos custando R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Um dos últimos espaços culturais da Praia de Iracema reabre com a força e a potência inventiva de atores, diretores, produtores e companhias de teatro. A resistência é, de certa forma, duplicada - uma vez que a comédia “Tita & Nic” comemora suas mais de duas décadas. Peça com mais tempo em cartaz do Nordeste, tem como premissa a sátira do filme “Titanic”.

Dirigido por Carri Costa, espetáculo da Companhia Cearense de Molecagem explora o romance entre Nic Santoro, um homem pobre, e a aristocrata Tita Lacraia, na jangada Lamparina do Mucuripe. Além do próprio Carri e da atriz Solange Teixeira - ambos da série “Cine Holliúdy” -, elenco conta com Denis Lacerda, Cristiane Carvalho, Diego Mesquita e Lucas Alexandre.

“Olha que coisa mais prazerosa para a cultura, ficar 22 anos mostrando a mesma história de maneiras diferentes. É muito apaixonante tudo isso. E, se a gente apresenta, é porque sempre tem público para assistir, para se deliciar com o tipo de sátira que a gente faz, com as cutucadas que a gente dá. Às vezes, até nas dores, nos amores, nos sabores das pessoas”, reflete Carri Costa.

Adaptações

Para reativar o espetáculo, a produção teve que se adaptar aos tempos pandêmicos. A peça não é a mesma da temporada do início deste ano. Uma das alterações mais expressivas é o uso de máscaras pelas personagens em alguns momentos.

“Isso é uma adaptação que a gente faz, por segurança, mas também para buscar uma graça nestes tempos”, contextualiza Carri. Elenco busca no cotidiano situações engraçadas, mas sem pejorativismo, diz o diretor. “A pandemia é algo doloroso para a população e para o mundo inteiro”.

Apesar do Teatro da Praia ter capacidade para  180 pessoas, o espetáculo disponibilizará apenas 60 lugares por sessão. A compra dos ingressos, inclusive, deverá ser realizada por meio da plataforma on-line do Whatsapp, para que não haja filas na bilheteria. Além da oferta de álcool em gel, os produtores estarão na frente do teatro para orientar o público.

Teatro da Praia recebe espetáculos de sátira, musicais e comédia. Em 2020, sofreu risco de despejo
Teatro da Praia recebe espetáculos de sátira, musicais e comédia. Em 2020, sofreu risco de despejo (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)

Para se adequar aos protocolos exigidos, a organização do Teatro da Praia lançou uma campanha de financiamento coletivo. “A gente só conseguiu 15% da meta, mas vamos abrir mesmo assim. Como o teatro estava desde fevereiro fechado, fizemos a limpeza, consertamos a parte elétrica e adquirimos novos refletores. Estamos abrindo atrasadamente, mas é com a ajuda daqueles que contribuíram”, diz Carri.

Fazer teatro na Cidade, para a Cidade

Em janeiro deste ano, o prédio do Teatro da Praia foi colocado à venda. Com a pandemia, o comprador acabou desistindo, mas há uma série de fatores que colocam em risco a sobrevivência do espaço. Alugado há 27 anos, a estrutura do antigo armazém precisa de constante manutenção patrimonial. O teatro, no entanto, não tem nenhuma subvenção pública ou algum tipo de patrocínio.

“Antes da pandemia era muito complicado manter o espaço, fazer teatro na Cidade para a Cidade. Muito complicado ficar em temporada. Com a pandemia, a maior complicação era sobreviver, pagar contas, pagar dívidas, manter um padrão de vida e de existência”, conta Carri. Segundo ele, a insegurança, às vezes, desestabiliza, mas também fortalece para o enfrentamento.

O contrato do galpão foi renovado até 2022, mas o gestor manifesta o desejo de tornar aquele espaço “do próprio povo cearense”. “Talvez, daqui a alguns 30 anos, as pessoas vão olhar para trás e vão perceber que existia um teatro mantido durante muito tempo, sempre com uma postura independente. Um espaço cultural que se posiciona diante de tudo e de todos”, reflete o dramaturgo.

Genuinamente cearense

Carri coloca “o cearense no palco”, como ele mesmo diz. O espectador se vê num reflexo, ri de si mesmo - da sua forma, do seu jeito de pensar, agir, lutar ou sonhar. Enquanto ator, comediante, dramaturgo, encenador e pesquisador do humor e da jocosidade na alma cearense, Carri não acredita num teatro “entorpecedor”.

Atuante na cena teatral de Fortaleza há mais de 20 anos, Carri Costa atuou em peças, filmes e séries, como a produção
Atuante na cena teatral de Fortaleza há mais de 20 anos, Carri Costa atuou em peças, filmes e séries, como a produção (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)

O próprio Teatro da Praia foi pensado para movimentar uma comédia com olhos mais humanos, dentro de uma perspectiva satírica - da denúncia e da criticidade. “A gente não abraça a ideia de ser um refúgio para as pessoas”, diz.

Para o diretor, o riso é relaxador, uma vez que mexe com a musculatura e pode dissipar dores e depressões. “Esse bom humor moleque, genuinamente cearense, é muito mais encantador, mais diurético, muito mais medicamento do que catarse ou letargia coletiva, desconectada da realidade”, afirma.

Serviço

Reabertura do Teatro da Praia com a comédia “Tita & Nic”
Quando: neste sábado, 24, e domingo, 25, às 20 horas
Onde: Teatro da Praia (rua José Avelino, 662 - Praia de Iracema)
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
Mais informações: ingressos à venda pelo Whatsapp (85) 98786 0688