PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Bacurau, A Vida Invisível e Cine Holliúdy: confira os vencedores do Grande Prêmio de Cinema Brasileiro

A premiação, feita pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais, foi ao ar neste domingo, 11

09:41 | 12/10/2020
Cena do filme Bacurau (Foto: Divulgação)
Cena do filme Bacurau (Foto: Divulgação)

A TV Cultura transmitiu ao vivo o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020, nesse domingo, 11. A premiação é feita pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. É a 19° edição do prêmio. Devido pandemia de Covid-19, a festa foi transferida do Theatro Municipal para os estúdios da TV Cultura, em São Paulo, com cerimônia transmitida pela emissora e pelas redes sociais.

A condução da cerimônia virtual ficou a cargo de Adriana Couto, do programa Metrópolis da TV Cultura, e Marina Person, atriz e diretora.

O presidente da Academia Brasileira de Cinema, Jorge Peregrino, na abertura do Prêmio, ressaltou que 2020 foi um ano de descobertas: "A principal, a de que ninguém vive sem arte, sem cultura e sem audiovisual. Em qualquer de seus formatos ou manifestações. Imagine quem resistiria a seis meses de quarentena sem poder assistir a um filme, a uma série, a um documentário, de produção brasileira ou estrangeira", disse.

O grande consagrado da noite foi Bacurau, de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, que levou seis estatuetas para casa, incluindo o principal prêmio da noite, de melhor longa-metragem de ficção, além de direção e ator — para Silvero Pereira, que empatou na categoria com Fabrício Boliveira, de Simonal.

Outros destaques ficaram para A Vida Invisível, com cinco prêmios, incluindo o de melhor atriz coadjuvante para Fernanda Montenegro; e o próprio Simonal, com quatro, entre eles o de melhor primeira direção de longa-metragem para Leonardo Domingues. As informações são do portal UOL e GaúchaZH.

Confira os vencedores nas categorias

> MELHOR LONGA-METRAGEM FICÇÃO

Bacurau de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Produção: Emilie Natacha Lesclaux por
Cinemascópio Produções Cinematográficas e Artísticas.

>MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Estou me guardando para quando o carnaval chegar de Marcelo Gomes. Produção: João Vieira Jr. e Nara Aragão por Carnaval Filmes e Marcelo Gomes e Ernesto Soto por Misti Filmes.

> MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA

Cine Holliúdy – A Chibata Sideral de Halder Gomes. Produção: Mayra Lucas por Glaz Entretenimento e Halder Gomes ATC Entretenimento.

> MELHOR LONGA-METRAGEM ANIMAÇÃO

Tito e os Pássaros de Gustavo Steinberg, Gabriel Bitar e André Catoto. Produção: Gustavo Steinberg.

> MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

Turma da Mônica – Laços de Daniel Rezende.

> MELHOR LONGA-METRAGEM VOTO POPULAR

Eu sou mais eu de Pedro Amorim. Produção: Lara Guaranys, Marcus Baldini e Gustavo Munhoz por Damasco Filmes.

> MELHOR DIREÇÃO

Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles por Bacurau.

> MELHOR PRIMEIRA DIREÇÃO DE LONGA-METRAGEM

Leonardo Domingues por Simonal.

> MELHOR ATRIZ

Andrea Beltrão como Hebe Camargo por Hebe – A estrela do Brasil.

> MELHOR ATOR

Silvero Pereira como Lunga por Bacurau e Fabrício Boliveira como Simonal por Simonal.

> MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Fernanda Montenegro como Eurídice por A Vida Invisível.

> MELHOR ATOR COADJUVANTE

Chico Diaz como Veí Gois por Cine Holliúdy – A Chibata Sideral.

> MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Hélène Louvart por A vida invisível.

> MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Rodrigo Martirena por A Vida Invisível.

> MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles por Bacurau.

> MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Murilo Hauser, Karim Aïnouz e Inés Bortagaray – baseado no livro "A vida invisível de Eurídice".

> MELHOR FIGURINO

Marina Franco por A Vida Invisível.

> MELHOR MAQUIAGEM

Simone Batata por Hebe – A estrela do Brasil.

> MELHOR EFEITO VISUAL

Mikaël Tanguy e Thierry Delobel por Bacurau.

> MELHOR MONTAGEM FICÇÃO

Eduardo Serrano por Bacurau.

> MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO

Karen Harley por Estou me guardando para quando o carnaval chegar.

> MELHOR TRILHA SONORA

Wilson Simoninha e Max de Castro por Simonal.

> MELHOR SOM

Marcel Costa, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond, Armando Torres Jr., ABC e Renan Deodato por Simonal.

> MELHOR LONGA-METRAGEM INTERNACIONAL

Parasita | Parasite (Coreia do Sul) / Ficção / Direção: Bong-Joon-Ho. Distribuidor brasileiro: Pandora Filmes.

> MELHOR LONGA-METRAGEM IBERO-AMERICANO

A odisseia dos Tontos | La odisea de los Giles (Argentina e Espanha) / Ficção / Direção: Sebastián Borensztein.

> MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO

Ressurreição de Otto Guerra.

> MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Viva Alfredinho! de Roberto Berliner.

> MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

Sem Asas de Renata Martins.

> MELHOR SÉRIE ANIMAÇÃO TV PAGA/ OTT

Turma da Mônica Jovem – 1ª Temporada (Cartoon Network). Direção Geral: Mauricio de Sousa e Roger Keesse. Diretor: Marcelo de Moura. Produtora Brasileira Independente: Mauricio de Sousa Produções.

> MELHOR SÉRIE FICÇÃO TV PAGA/ OTT

Sintonia – 1ª temporada (Netflix). Direção geral: Kondzilla, Guilherme Quintella e Felipe Braga.

> MELHOR SÉRIE FICÇÃO TV ABERTA

Cine Holliúdy– 1ª Temporada (Globo). Direção Geral: Patricia Pedrosa. Diretores: Halder Gomes e Renata Porto D'ave. Produtora Brasileira Independente: Glaz Entretenimento.

> MELHOR SÉRIE DOCUMENTÁRIO TV PAGA/ OTT

Quebrando o Tabu – 2ª Temporada (GNT). Direção Geral: Guilherme Melles e Katia Lund.