PUBLICIDADE
Noticia

Músicos cearenses gravam vídeo colaborativo para incentivar a arte durante isolamento

A música "Clausura" foi idealizado por Maurição Lima e contou com a participação de 13 artistas

06/04/2020 17:38:15
Esse poema, divulgado por Jansen Viana em suas redes sociais, deu início ao projeto
Esse poema, divulgado por Jansen Viana em suas redes sociais, deu início ao projeto (Foto: Reprodução/Facebook)

“Depois da clausura, não tem mais sentido não amar”. Essa é a mensagem do trabalho voluntário e colaborativo de 13 artistas que se uniram para gravar o poema de Jansen Viana. Idealizado por Maurição Lima, o projeto foi o resultado de duas semanas de trabalho entre pessoas de diversas áreas.

As palavras que entoam na música são reconfortantes. Em um período que as pessoas não estão mais se vendo fisicamente, a saudade prevalece. “O que sobrou foi um fio tênue, frágil, de esperança, de que um dia eu vou sair por essa porta e ver o jogo do meu time ou correr na rua. Vou ver gente, abraçar, beijar e sorrir depois da clausura, porque o tempo, o tempo voltou”, retrata.

Por meio deste propósito, Maurição Lima viu que o poema poderia se tornar uma canção, Clausura. Convidou, então, amigos para participarem. A partir disso, uma dezena de pessoas se envolveram, mesmo que não se conhecessem. “Apesar da clausura, desse momento de solidão forçada, você tem que estar fazendo algo coletivo. Isso acaba aproximando”, afirma o idealizador e produtor do trabalho.

De acordo com o compositor Alan Morais, todos se juntaram em prol da mensagem. “Tem artista, funcionário público que é artista. Todo mundo participou pela mensagem, pelo que a música tentava dizer. Que um dia vai passar. A música faz a gente pensar”, diz.

Para Maurição, é comum que a criatividade se aflore nesse período de isolamento. “A gente não está dando conta de tanta gente produzindo algo na internet. Todos os dias meus amigos mandam novos poemas, novas músicas”, diz. Além de unir, esse movimento é, segundo Alan Morais, uma questão de sobrevivência. “De um Gilberto Gil fazendo live a um rapaz que nunca se apresentou. As pessoas estão vendo conforme os perfis que seguem. A gente tem que se unir mesmo que não queira”, ressalta o compositor.

Em um momento incerto, é necessário continuar, porque o tempo vai voltar.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >