PUBLICIDADE
infraestrutura

Reformas no Museu do Ceará começam em maio e têm previsão para durar 120 dias

Em virtude das reformas, as visitas ao equipamento estão suspensas até o fim das obras de melhorias

15/04/2019 12:40:42
O Bode Ioiô empalhado é um dos itens que podem ser encontrados em visita ao Museu
O Bode Ioiô empalhado é um dos itens que podem ser encontrados em visita ao Museu (Foto: Divulgação)

A figura lendária do Bode Iô Iô, artefatos indígenas e peças do vestuário de Padre Cícero, que estão abrigados no Museu do Ceará, serão resguardados do olhar de visitantes, uma vez que o equipamento passará por reformas. Com a medida, estarão fechadas as exposições e demais programações do museu. Por meio de nota, a Secretaria da Cultura do Ceará (Secult) informou que as visitas ao espaço estão suspensas, devido às obras que terão início no mês de maio. A previsão é que os reparos sejam concluídos em até 120 dias após o início da reforma.

Ao O POVO online, a diretora do equipamento, Carla Vieira, explicou que o encerramento prévio das visitações se deu em razão da necessidade de remanejar os artefatos. “Por tratar-se de um museu e, como é sabido, abrigar um acervo de inestimável valor cultural, é necessário todo um cuidadoso trabalho de deslocamento dos objetos das áreas que sofrerão intervenções para áreas seguras onde sua salvaguarda estará garantida”, informou.

As melhorias serão acompanhadas pela Coordenadoria de Patrimônio Cultural e Memória (Copam), com ações intensificadas na coberta, e nas instalações elétricas e hidrossanitárias. O custo das atividades de reparos deve girar em torno de R$ 410 mil.

Ainda segundo a pasta, a obra tem caráter preventivo e visa melhorar a estrutura e a segurança do espaço, como forma de assegurar o bem cultural exposto na edificação situada no Centro da Capital. A solução encontrada para destino das obras durante a reforma foi remanejá-las para os ambientes onde os serviços não estarão sendo realizados.

Resgatando acontecimentos no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, e o do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, Carla Vieira declarou que os incêndios de 2015 e 2018, respectivamente, serviram como alerta. “O acontecimento do Museu Nacional alertou a todos e todas para uma maior atenção aos cuidados preventivos necessários para as instituições de preservação e difusão da memória e história do nosso Estado”, completou.

No fim de 2017, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) já havia emitido um comunicado para a pasta estadual pontuando alguns problemas estruturais que afetavam o museu. O diagnóstico do Iphan resultou em uma manutenção prévia, com proporções menores do que a obra que deve iniciar no próximo mês.  

A diretoria do equipamento informa ainda que o Museu do Ceará seguirá em funcionamento administrativo durante as obras, com atendimento de pesquisa ao acervo e setor administrativo funcionando em horário comercial.

Danielber Noronha