Participamos do

Diante do crescimento dos ataques hackers: tecnologia e treinamento

Número de ataques hackers cresceu 23% no Brasil em 2021, mostra pesquisa. Diante disso, a JobHome aposta em tecnologia e treinamento das equipes para evitar a ameaça
12:43 | Nov. 29, 2021
Autor Hamilton Nogueira
Foto do autor
Hamilton Nogueira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em 2020, o Brasil sofreu mais de 3,4 bilhões de ataques hackers, de acordo com dados da Fortinet Threat Intelligence Insider America. Segundo o estudo “Panorama de Ameaças 2021”, da Kaspersky, esse tipo de ataque cresceu 23% apenas no primeiro trimestre deste ano.

Uma das vítimas recentes foi a empresa de call center Atento, que teve seu sistema invadido e precisou operar parcialmente. O Ataque deixou todo o setor em alerta e causou receios em clientes que utilizam o serviço. Quando um ataque hacker acontece, os invasores buscam por dados sobre a Tecnologia da Informação (TI) das empresas, entender suas estruturas e software, identificando os pontos de vulnerabilidade. Isso acontece por meio de iscas em e-mails, mensagens instantâneas e outros métodos, dessa maneira os times precisam estar atentos e treinados para saber como agir.

Geraldo Brasil, CEO e fundador da JobHome, startup especializada em teleatendimento home office, conta que as equipes da empresa são treinadas para lidar com tecnologia VPN e que o time de TI está sempre atento às questões de segurança. “Nós utilizamos uma tecnologia de servidores em Linux, sob gestão de firewall criptografados via Tunel de VPN de alta segurança, dessa forma, todos os dados dos nossos clientes estão seguros”, explica o CEO.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os criminosos têm como objetivo infectar sistemas ou coletar e sequestrar dados valiosos por meio do ransomware, ameaça que bloqueia o computador e depois exige uma quantia em dinheiro para desbloqueá-lo.
As empresas de call center lidam diariamente com dados tanto de empresas, como de pessoas, clientes de seus clientes, por isso, a vulnerabilidade não pode ocorrer e assusta o setor.

“Casos de ataque ao teleatendimento afeta a credibilidade da segurança das empresas de Call Centers, seus compliances e regras de LGPD aplicadas, mas são episódios isolados e todos têm muito cuidado com esses dados”, finaliza Brasil.

Mais sobre a JobHome

Fundada em 2017, a JobHome nasceu com o propósito de levar as melhores experiências de teleatendimento ao mercado, unindo tecnologia e qualidade de vida aos colaboradores. A startup oferece uma solução para problemas comuns de call center, aliando a isso uma forma de reduzir custos em infraestrutura e atraindo um perfil diferente de operador.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente