PUBLICIDADE
Tecnologia
Noticia

Whatsapp: o que acontece com quem não compartilhar dados com Facebook

Quem não aceitar será convidado a apagar o aplicativo e desativar a conta. A conta não será apagada, mas ficará indisponível até o usuário aceitar o compartilhamento

13:10 | 15/01/2021
O compartilhamento de informações diz respeito aos dados de perfil do usuário. 

 (Foto: Reprodução/ Pixabay)
O compartilhamento de informações diz respeito aos dados de perfil do usuário. (Foto: Reprodução/ Pixabay)

A partir do dia 8 de fevereiro, o Whatsapp solicitará que o usuário vincule os dados do aplicativo com o Facebook. A obrigatoriedade da função para uso da ferramenta de mensagens assustou os internautas. A partir de 8 de fevereiro, será necessário aceitar as atualizações para seguir usando o aplicativo.

Confira como a mudança atingirá os usuários:

Quais aplicativos compartilharão informações

O compartilhamento vincula dados de três aplicativos da empresa: Facebook, Whatsapp e Messenger. No entanto, não serão todas as informações que ficarão a disposição da instituição, pois o compartilhamento somente diz respeito às informações de perfil. Mensagens e chamadas de áudio e vídeo seguem criptografadas.

Desde 2016, o Whatsapp já podia compartilhar os dados com o Facebook. O que chamou a atenção nos novos termos e condições foi o fato de o recurso não ser mais opcional, mas obrigatório para a permanência do usuário na rede. Quem não aceitar será convidado a apagar o aplicativo e desativar a conta. A conta não será apagada, mas ficará indisponível até o usuário aceitar o compartilhamento.

Quais informações serão compartilhadas

Das informações compartilhadas, estão:

- Número de telefone

- Dados do registro (como o nome)

- Números de contatos

- Informações sobre o smarthphone (modelo, marca e empresa da telefonia móvel)

- Localização da conexão à internet (número de IP)

- Pagamentos ou transações realizadas por meio do aplicativo de mensagens

- Números de contatos

- Atualizações de status

- Atividade no aplicativo (tempo de uso).

No caso das contas empresariais, a política de segurança de dados ocorre de forma diferente das pessoais. Isso acontece quando estas utilizam o Facebook como provedor de soluções, que, segundo o Whatsapp serve para “para ajudar a fornecer as ferramentas necessárias para enviar e receber mensagens”.

Esse curso lê, armazena e responde o que é recebido de forma automática. As mensagens para esse tipo de conta não ficam criptografadas, e são acessadas diretamente pelo aplicativo. No entanto, essas conversas são sempre sinalizadas e, caso o internauta não se sinta seguro, pode interrompê-las.

Sobre os uso dos dados por instituições, o Whatsapp explica: "O Facebook não usará automaticamente suas mensagens para exibir os anúncios direcionados que você vê, mas as empresas poderão usar as conversas com você para fins de marketing, incluindo anúncios no Facebook."

LEIA MAIS | Após Whatsapp informar novas regras, concorrente Signal tem aumento de novos usuários

LEIA MAIS | WhatsApp vai obrigar usuário a compartilhar dados com o Facebook