PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Entenda como o Pac-Man ainda impacta o mercado de jogos 40 anos após seu lançamento

Diante de crise de identidade, olhar para trás é receita para indústria de jogos se reinventar e criar bons jogos, aponta especialista

Leonardo Maia
14:34 | 26/05/2020
Pac-Man foi lançado originalmente em maio de 1980. (Foto: corrode2k/Pixabay)
Pac-Man foi lançado originalmente em maio de 1980. (Foto: corrode2k/Pixabay)

Um pizza faltando dois pedaços. Essa foi a inspiração que o japonês Toru Iwatani precisou para criar o jogo Pac-Man, que completa 40 anos de história neste mês. Comer pontinhos e fugir de fantasmas em um labirinto continua fazendo a diversão de muitos jogadores depois de décadas. Imortalizado em inúmeras versões, Pac-Man, popularizado no Brasil como "Come-Come", continua sendo um marco na história dos videogames, inclusive com novos jogos para a geração mais recente de consoles.

Criado originalmente pela Namco, o jogo foi pensado para atrair o público feminino para o mercado de arcades, que contava predominantemente com jogos de temática espacial e violenta. O sucesso, no entanto, foi bem maior que o esperado e o jogo virou um ícone da cultura pop: cadernos, lancheiras, séries animadas e, em tempos de quarentena, até um vídeo para incentivar o isolamento social contam com a temática do jogo.

Desde 1980, o maior recorde do jogo foi conquistado pelo norte-americano David Race, que conseguiu a pontuação máxima em 3 horas e 33 minutos. Em entrevista ao canal Fox, ele contou que jogou Pac-man pela primeira vez quando tinha 11 anos e, ao longo do tempo, notou alguns padrões que se repetiam e eram importantes para alcançar o recorde.

“Eu joguei pela primeira em um arcade em uma loja de conveniência e, desde então, fiquei encantado. É um jogo único, diferente de outros jogos da época: não é violento e é muito colorido”, disse à Fox. A pontuação máxima do jogo, cerca de 3,3 milhões de pontos, foi atingida pela primeira vez por Billy Mitchell, em 1999, quase 20 anos após o lançamento.

O tamanho e a tradição do jogo também marcaram a vida de Ítalo Furtado, presidente da Associação Cearense de Desenvolvedores de Jogos (Ascende). Ele relata que, mesmo sem saber precisar quando entrou em contato pela primeira vez com o jogo, sempre o teve como uma referência da indústria.

Ele defende que Pac-Man criou um marco quando estabeleceu um sistema desafiador, que faz com que o jogador tenha ciência de suas decisões e estude como tomá-las. “Mecânicas simples são o grande segredo para que seu jogo caia no gosto das pessoas”, considera.

Daniel Gularte, pesquisador e curador do museu cearense Bojogá, ressalta a importância de Pac-Man como o maior ícone da indústria de jogos, a frente de grandes títulos como Mario Bros e Sonic. Ele explica que o jogo traz um elemento que deve estar presente em qualquer produto de entretenimento: a criatividade.

“A essência do jogo não está nos gráficos, mas nas mecânicas em si. Ele conseguiu atender a lacunas que outros jogos da época deixaram em aberto”, aponta o especialista. Ele afirma ainda que atualmente desenvolvedores enfrentam uma crise de identidade e estudar a história dos jogos e exemplos como Pac-Man podem ser úteis para trabalhar em novos produtos.

 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 

They say 40 is the new 20! #PacMan40th #PacManBirthday

Uma publicação compartilhada por PAC-MAN (@officialpacman) em

“É preciso entender como os jogos funcionam e conhecer mais a história deles. Não basta apenas dominar as ferramentas que existem hoje em dia e permitem modelar um personagem em 3D, por exemplo. Os criadores não podem ter medo de ousar e dar a cara quando errarem. É necessário um pouco mais de coragem, de olhar a construção desse legado. Não paro de ver coisas incrivelmente atuais quando estudo jogos antigos”, argumenta Gularte.

Furtado acrescenta que, quando se estuda jogos antigos, é possível identificar áreas com potencial que foram poucos exploradas, assim como evitar erros que já aconteceram no passado.

Sobre o Museu Bojogá

A iniciativa surgiu após o pesquisador cearense Daniel Gularte resolver transformar sua coleção de jogos eletrônicos em um objeto de estudo e pesquisa científica. Com exibições fixas e itinerantes, o museu reúne uma série de itens históricos relacionado ao mundo dos jogos eletrônicos. Há, inclusive, uma página dedicada ao Pac-Man, que pode ser acessada aqui.