PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Globoplay é invadido por grupo OurMine, conhecidos como "hackers do bem"

Grupo OurMine é conhecido por acessar contas de empresas e famosos em redes sociais

Bemfica de Oliva
01:12 | 17/05/2020
Grupo aproveitou a invasão para divulgar seus serviços de segurança digital e solicitar aos usuários que subissem uma hashtag
Grupo aproveitou a invasão para divulgar seus serviços de segurança digital e solicitar aos usuários que subissem uma hashtag (Foto: Reprodução/WhatsApp O POVO)

Usuários do serviço de streaming Globoplay, da Rede Globo, foram surpreendidos na noite deste sábado, 18, por uma notificação peculiar. A mensagem "Hacked by OurMine - Hackeado por OurMine" apareceu no celular de milhares de usuários, e o tema ganhou força nas redes sociais.

Além da notificação, usuários relataram não conseguir assistir vídeos pelo serviço. A seção "Agora na Globo", que apresenta online a programação da emissora de TV aberta, está acessível normalmente.

O grupo OurMine é famoso por ter invadido sites de grandes empresas, além de contas de empresas e famosos em redes sociais. Algumas das vítimas anteriores são o site de tecnologia TechCrunch, o portal de notícias BuzzFeed e contas em redes como Facebook, Twitter e Youtube.

A equipe se intitula como "white hat", os chamados "hackers do bem". Este tipo de invasor não rouba dados de clientes dos sites que mira, deixando apenas mensagens para divulgar que o ataque ocorreu. Em contraposição, os "hackers do mal" utilizam seus talentos para conseguir informações de usuários, que então são vendidas em fóruns ilegais e usadas para aplicação de golpes virtuais.

Em suas invasões, o OurMine oferece serviços para ampliar a segurança dos sites e aplicativos que ataca. No caso da Globoplay, havia um contato por e-mail com a mensagem "contate-nos para melhor segurança", em inglês, e o pedido para que os usuários usassem a hashtag "#GloboHack".

O GloboPlay se pronunciou em sua conta de Instagram, informando o ocorrido e garantindo que nenhuma informação de usuário foi comprometida e esclarecendo que a invasão se limitou ao sistema de envio de push notifications, responsável por uma empresa parceira.