PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Com nova plataforma multistreaming, O POVO investe em produções audiovisuais

O público assinante vai poder desfrutar de forma fluida e rápida de produtos antigos reformulados e lançamentos de séries e webdocs

19:20 | 14/05/2020
A nova plataforma do OP+ facilita a navegação do assinante
A nova plataforma do OP+ facilita a navegação do assinante (Foto: Reprodução )

Lançado nessa quarta-feira, 13, O POVO+, primeiro multistreaming da América Latina, dá ainda mais destaque e liberdade para as produções do O POVO. Roteiros aprofundados e analíticos, novas formas de captar entrevistas e ousar em enquadramentos e estéticas. O público assinante vai poder desfrutar de forma fluida e rápida de produtos antigos reformulados e lançamentos de séries e webdocs.

Na plataforma, o acesso pode ser feito pelas abas em destaque com alguns especiais, assim como por meio do menu lateral, clicando em "séries e docs". O espaço é dividido conforme os temas e assuntos. Histórias que inspiram, negócios, empreendedorismo, meio ambiente, esporte e negritude são algumas das categorias disponíveis no acervo.

"O POVO+ foi pensado para ampliar a experiência que os assinantes já tinham com a área exclusiva. A coisa mais diferente na plataforma é o foco no audiovisual, mais coisas para ver e ouvir", disse Arthur Gadelha, repórter do Núcleo de Imagem do O POVO que fez parte do processo de transição. Ele ressalta que o acervo foi escolhido para fortalecer a intenção do grupo de destacar narrativas audiovisuais, dando ainda mais independência para reportagens, documentários e séries nesse formato, além de agregar o jornalismo investigativo e imagens inéditas.

O trabalho foi de adaptação, como o próprio jornalismo requer nos últimos anos. "Fazemos cortes, reunimos alguns webdocs em só ou o contrário, dividimos em série", relata Chico Marinho, coordenador da TV O POVO e do Núcleo Audiovisual, sobre o processo de montagem da plataforma. Além de produções já realizadas, o lançamento da série Guerra sem fim, disponível desde a quarta-feira, 13, marca a nova roupagem dos materiais do O POVO.

"É um investimento em novas formas de contar histórias. Existem planos e enquadramentos mais cinematográficos. Existem direção de cena, direção de fotografia", analisa Marinho. A sequência de webdocs aborda a disputa entre facções criminosas do Ceará. No primeiro episódio, há o marco temporal das séries de ataques que aconteceram em janeiro de 2019, quando as facções no Ceará se uniram contra as mais ações rígidas dentro das penitenciárias.

No segundo episódio, a série traz uma análise dos tribunais do crime e como é o funcionamento interno das facções no Estado. No terceiro webdoc, a entrada e saída de pessoas em organizações criminosas são abordadas. Defensores públicos, promotores, especialistas e jornalistas do O POVO comentam e narram como essa realidade das facções tem atingindo a população do Ceará. Com produção e realização feita por muitas mãos, a série leva a assinatura na direção de Demitri Túlio, roteiro de P.H. Diaz, Arthur Gadelha e Demitri Túlio, produção de Isabel Costa e Arthur Gadelha, direção de fotografia de FCO Fontelene, montagem, finalização, mixagem de som de P.H. Diaz, animação e efeitos especiais de Eduardo Azevedo.