PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Twitter amplia regras para banir comentários de ódio relacionados à idade, doença e deficiência

Tuítes com conteúdos de ódio já podem ser removidos da rede social, quando reportados

Ismia Kariny
11:41 | 06/03/2020
Exemplos de Tweets que podem ser removidos da rede social, quando denunciados
Exemplos de Tweets que podem ser removidos da rede social, quando denunciados (Foto: Divulgaçao/Twitter)

A rede social Twitter estabeleceu regras mais incisivas contra comentários tóxicos e publicações de ódio em sua comunidade virtual. Conforme divulgado nessa quinta-feira, 5, as diretrizes da plataforma foram atualizadas para punir ofensas relacionadas à idade, deficiência ou doença, com o banimento. Os esforços da rede social contra a linguagem desumana se destacam desde julho de 2019, quando o Twitter começou a apagar discursos de ódio baseados em religião.

Segundo a empresa, as novas diretrizes foram criadas para promover segurança aos usuários da rede e enfrentar possíveis riscos de danos offline. Dessa forma, a partir de discussões com especialistas internos, externos e a própria comunidade, foi possível identificar que a linguagem desumana contribui para o aumento desse risco.

Desde a quinta-feira, 5, os tweets reportados que violarem as regras referentes à idade, doença e/ou incapacidade podem ser excluídos da rede social. Há ainda a possibilidade de suspensão da conta, salvo violações que ocorreram antes da regra ser implementada.

Segundo o portal de notícias CanalTech, a plataforma vem sendo criticada por tratar o discurso de ódio de maneira reativa, ao exigir denúncias para que as normas sejam aplicadas. Considerando que as sinalizações dos usuários ainda devem passar por um processo de avaliação, e ainda a grande quantidade de tweets da rede, a estratégia do Twitter poderá ter problemas de execução.

Esse impasse é reconhecido pela própria empresa, que vem realizando um trabalho de treinamento aprofundado e com período de experiência suficiente para que os revisores humanos possam compreender melhor quando e como agir. A plataforma também vem trabalhando com especialistas externos para pensar a abordagem sobre o discurso desumanizador em torno de categorias mais complexas, como raça, etnia e origem nacional.