PUBLICIDADE
Notícias

Governo proíbe agressores sexuais de jogarem Pokémon Go em Nova York

O governador de Nova York também enviou carta à Niantic recomendando essa proibição para pessoas fichadas por crimes do tipo

18:35 | 01/08/2016

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, pediu nesta segunda-feira, 1º, que os serviços de liberdade condicional proíbam quase 3.000 agressores sexuais fichados de jogarem Pokémon Go e jogos similares. A medida tem o objetivo de proteger as crianças de Nova York, conforme comunicado oficial.

Cuomo lembrou que o localizador do jogo pode ser utilizado pelos ex-presos sexuais e, por isso, ordenou a proibição ao Departamento Penitenciário e de Liberdade Condicional (DOCCS, em inglês). Além disso, o governador enviou carta à Niantic recomendando essa proibição para pessoas fichadas por crimes do tipo.

A decisão foi tomada, segundo contou Cuoma, depois que dois senadores de Nova York demonstraram que algumas crianças haviam jogado, sem saber, Pokémon Go perto da casa de delinquentes sexuais fichados.

[SAIBAMAIS 3] "A prioridade é proteger as crianças de Nova York, e à medida que a tecnologia avança devemos garantir que estes avanços não ofereçam novas oportunidades para que os perigosos abusadores consigam outras vítimas", disse Andrew Cuomo.

As pessoas condenadas por crimes de natureza sexual, nos Estados Unidos devem garantir a atualização de seus dados, principalmente os referentes a domicílio.

Por enquanto, Pokémon Go ainda não tem data para chegar ao Brasil. No entanto, dois jovens de Salvador já mapearam em Fortaleza as PokéStops, paradas que os mestres fazem para recarregar as pokébolas

Redação O POVO Online
TAGS